João Pessoa 14/12/2018

Início » Política » Quatro ministérios já têm nomes quase definidos, diz Bolsonaro

Quatro ministérios já têm nomes quase definidos, diz Bolsonaro

Anúncio pode ser feito até 6ª feira - 5 ministros já foram confirmados

Dep. Jair Bolsonaro durante sabatina no Correio Brazilinese. Brasilia, 06-06-2018. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Jair Bolsonaro disse que a equipe de ministros será fechada antes da cirurgia

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse nesta 3ª feira (6.nov.2018) que o nome de pelo menos mais 1 ministro deve ser anunciado até 6ª feira (9.nov). São 4 pastas com titulares praticamente definidos.

Temos Agricultura, Meio Ambiente, Relações Exteriores e Infraestrutura. Pelo menos 1 nome sai até 6ª“, disse

Até agora, Bolsonaro confirmou o nome de 5 ministros: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Paulo Guedes (Economia), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), general Augusto Heleno (Defesa) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).

MINISTÉRIOS ATÉ 12 DE DEZEMBRO

Bolsonaro disse ainda que toda a equipe ministerial estará formada até 12 de dezembro. Na data, ele passará por uma cirurgia para retirar a bolsa de colostomia.

Há quase certeza, por parte da equipe médica, que estarei bom até 12 de dezembro. Equipe ministerial será formada até lá. Ficarei uma semana no hospital e depois já é Natal, Ano Novo. Não pode deixar para os 45 do 2º tempo”, disse em entrevista após reunir-se com o comandante da Marinha, Eduardo Bacellar.

A quantidade de ministérios pode chegar a 17. Bolsonaro reafirmou que a tendência é que Agricultura e Meio Ambiente sejam pastas separadas. “Não é fraqueza, nem voltar atrás. Os próprios representantes do setor agropecuário não querem a fusão“, disse.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O militar reafirmou que quer aprovar algo da Reforma da Previdência proposta pelo presidente Michel Temer ainda em 2018.

A melhor reforma é aquela que passa na Câmara no Senado. A conclusão a que toda equipe chegou é que não podemos terminar o ano sem dar um passo sequer“, disse.

EMBAIXADA EM JERUSALÉM

Questionado se temia represálias pela decisão de mudar a embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, Bolsonaro disse ser “prematuro 1 país anunciar retaliação” agora.

Para o presidente eleito, o Brasil precisa mudar a forma de fazer negócios com outros países. “Não podemos continuar a fazer negócio com viés ideológico. Negócio é negócio e devemos fazer com o mundo todo“.

Poder360