Raíssa de Oliveira, a Beyoncè do Samba

raissaRaíssa de Oliveira, 25 anos, a rainha de bateria da Beija-flor de Nilópolis – há 14 anos no posto – é uma típica mulher do samba. Tem tudo “ão”: bundão, cabelão, peitão (ela trocou as próteses de silicone de 300ml para 400 recentemente) e, para exercer toda essa sensualidade à frente de sua bateria se inspira em nada mais nada menos do que Beyoncé.

“Como comecei muito novinha, fui me inspirando em atrizes, cantoras, em seus clipes para montar um jeito, um estilo. Mas sou fanática na Beyoncé. Estudo tudo dela: o jeito como ela quebra, o carão, como joga o cabelo. Tento trazer isso para o carnaval”, diz ela que, apesar do estilo matador não é de se dar ao desfrute.

Quadra da Beija-Flor é território sagrado para ela, que começou a reinar aos 12 anos, e ganhou 280 ritmistas no seu pé para tomar conta. “Onde me viam, me mandavam para casa e avisavam minha mãe”, lembra ela rindo. Até hoje, mulherão feito, nada de paquerar na quadra. “Cresci com o ditado popular que diz que onde se ganha o pão não se come a carne. Deixo para paquerar em outros lugares”, diz ela rindo marotamente, mas sem entregar muito.

Além dos ritmistas, quem costuma tomar conta de Raíssa de perto é o diretor de carnaval da escola Laíla. Ele já a fez ela trocar a cor do cabelo quando ela pintou de loiro, mandou emagrecer quando achou que não estava bom para o padrão rainha de bateria, e ela obedeceu sem pestanejar. Tanto cuidado chegou a gerar o boato de que eles poderia ter algo a mais. O que é negado veementemente pela rainha.

Laíla sempre puxa minha orelha, mas sempre para o meu bem. Mas não acredito que dizem isso (risos). Não tem nada disso mesmo! Chamo ele de tio. É um relação de respeito, de trabalho”, enfatiza reafirmando ainda que tudo que tem e aprendeu é graças a Beija-Flor.

Apesar de tanto amor e gratidão, Raíssa sabe que seu tempo à frente da bateria da azul e branca de Nilópolis pode acabar. Mas ela não teme o futuro. “Nada na vida é para sempre. Sei que uma hora não serei mais rainha, e estou preparada para a hora que esse momento chegar. Mas o dia que sair, não vou pendurar minhas sandálias, não (risos)”, diz ela garantindo que ainda tem muita lenha para queimar, e pensando já nas comemorações por seus 15 anos de reinado.

Enquanto o futuro não chega, Raíssa se preocupa com o presente e o corpão que Deus lhe deu. Para isso faz carboxiterapia, crossfit e frequenta clínicas de estética. Ela tem também uma receita infalível para disfarçar as celulites que teimam em permanecer. “Tomo sol na laje para esconder celulite e fazer marquinha. Eu me sinto um galeto de padaria: 40 minutos de um lado, 40 minutos de outro (risos). Mas funciona mesmo”, garante ela.

Ego