Raoni acusa Cartaxo de inchar folha e usar máquina da PMJP para tentar eleger irmão

RAONI MENDES ACUSA CARTAXOO vereador Raoni Mendes (PDT/JP) acusou nesta terça-feira (13) o prefeito Luciano Cartaxo (PT) de ter inchado a folha de pessoal da Prefeitura. “Desde que assumiu o Governo em 2012, a política de Cartaxo é beneficiar os amigos de ocasião e usar a máquina da Prefeitura para tentar eleger seu irmão Senador da República”, dispara.

Luciano Cartaxo, segundo o vereador, inchou a máquina de forma grotesca. “Foi com uma falta de planejamento incomum, nunca visto antes em João Pessoa”.

Ao assumir a Prefeitura, Cartaxo fez uma enxurrada de nomeações. Em Janeiro de 2012, o Governo municipal tinha 16.547. Em apenas 11 meses de gestão, o número de funcionário pulou para 20.847. A prefeitura que gastou com a folha de pagamento em janeiro de 2012, R$ 27.158.572,88 Em dezembro, a Prefeitura da Capital desembolsou R$ 62.110.333, 06, para cumprir as obrigações com o funcionalismo.

No segundo ano de 2013 do Governo do PT na Prefeitura, a folha de pessoal atingiu os R$ 38.771.588,58. O número de funcionários voltou a subir. Naquele ano, a Prefeitura tinha exatos 21.968 servidores.

Em 2014, ano eleitoral, o prefeito Luciano Cartaxo abriu as burras da Prefeitura. Com seu irmão univitelino Lucélio Cartaxo candidato ao Senado, o número do funcionalismo da Prefeitura chegou às alturas: foram para exatos 22.356 servidores. A folha de pagamento atingiu seu pico máximo: R$ 42.356.007, 04.   “Foi uma tentativa inútil de eleger seu irmão Senador”, garante.

De acordo com Raoni, boa parte deste montante foi para efetuar o pagamento para prestadores de serviço, contratados por excepcional interesse público e em gratificação nos cargos comissionados.

Para Raoni Mendes nada justifica a gastança do prefeito, nem mesmo as 10 creches inauguradas. “Não comportaria um número tão grande de comissionados”, ironiza.

ClickPB