RC confirma que servidores podem ficar sem salário com adiamento da LOA e critica oposição na AL - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

RC confirma que servidores podem ficar sem salário com adiamento da LOA e critica oposição na AL

RI X RIO governador Ricardo Coutinho (PSB) criticou nesta segunda-feira (06) a Assembleia Legislativa (ALPB) por não ter votado a Lei de Orçamentária Anual (LOA) e mais dois projetos do governo, mesmo com maioria dos deputados presentes no plenário Antônio Mariz. Coutinho também confirmou que há risco sim dos servidores ficarem sem pagamento devido a não votação da LOA. A crítica foi endereçada para a oposição, mas principalmente para o presidente da Casa, Ricardo Marcelo (PEN).

 

“Claro que existe o risco. Se você não tem a rubrica orçamentária para fazer o pagamento. É claro que existe”, explicou Coutinho ao ser questionado sobre o risco de não pagamento dos servidores sem a votação da LOA.

 

Coutinho reclamou do que chamou de manobra da oposição. “Como é possível você negar uma votação quando a maioria está dentro do plenário. Dos 36, 19 estavam dentro para votar”, argumentou, se referindo aos deputados da situação.

 

Segundo o governador, a Assembleia deixou de votar não só a LOA, mas também o projeto que regulamenta os Alternativos e a isenção de multas para as motos de 150 cilindradas.

 

Sobre os projeto que regularizava os alternativos, Coutinho explicou. “Depois de 20 anos, eu disse que faria isso e fiz. Juntei dono de empresa de ônibus, taxistas, DER, motorista de alternativo. Foram seis horas de reunião. Fechamos um acordo e mandei o projeto para a AL. Como algo que é acordado por todos os segmentos envolvidos e não é aprovado pela Assembleia? Todos os interessados dizendo que queriam. É para piorar um problema. Hoje ninguém ganha com essa situação de completo descontrole dessa atividade. Esse governo resolveu regulamentar, mas não só como um ato imperial, construímos isso. A AL a partir da presidência e dos que fazem oposição ao governo não permitiu que se votasse”, reclamou.

 

LOA – Coutinho lembrou que a Assembleia não está em recesso, porque ela só entra em recesso quando se vota a LOA. O governador considerou a decisão de adiamento como um ato de brutalidade e fez um apelo a oposição.

 

“Fecharam as portas e o povo ficou completamente escanteado das soluções que a AL deveria prestar. Eu faço um apelo a alguns parlamentares que me fazem oposição e são mais lúcidos. Para que saiam dessa situação tão delicada e de tanto desrespeito a população e façam com que aquilo que é positivo seja priorizado. Quem pode ser contra a anistia das motos 150 cc, a LOA, ao projeto dos alternativos? Quem pode ser contra tudo isso? Me parece que ninguém em sã consciência que respeita o povo. Eu faço esse apelo, não em função minha, mas em função do respeito que deve existir entre os poderes estabelecidos”, pontuou.

O governador também aproveitou para agradecer publicamente a sua bancada na Assembleia “pela resistência, coragem e pela condição de sabermos que estamos avançando em nosso estado”, finalizou.

Paulo Dantas