RC define como oportunistas os que tentam politizar caso de assassinato e estupro de mulheres em Goiana

ricardo oportunistasRCO governador paraibano Ricardo Coutinho (PSB) se manifestou pela primeira vez sobre a tragédia envolvendo a morte e o estupro de duas mulheres no município de Goiana no vizinho estado de Pernambuco. Coutinho demonstrou otimismo na captura dos envolvidos neste episodio que chocou a Paraíba e lamentou a politização do caso.

Inicialmente o governador disse que o Brasil vive uma epidemia com quarenta mil mortes por ano vitimas de assassinato, o “Mago” criticou alguns oportunistas que tentam politizar o assunto: “Alguns oportunistas da área política dizem: a culpa é do Governo! Ou então alguns analistaszinhos que acha que escrever uma coluna é jogar a culpa no Governo! Como a culpa é do Governo? A culpa é nossa se não houvesse viatura para as policias quando não tinha num passado recente, se não houvesse armamento e equipamento de proteção para os policiais, se não houvesse condição de investimentos, temos uma Academia de Policia mais moderna do país, vamos inaugurar a Central de Polícia, estamos avançando nas Unidades de Policia Solidária e tem um trabalho sendo feito”, desabafou.

Ricardo disse que a questão da violência está na sociedade e a Segurança Pública não tem como prever onde vai estourar esta violência

“A sociedade está ficando doente por que a violência está avançando e faço um apelo para que a população separe as coisas, o trabalho que a policia está fazendo é um trabalho valoroso, poucos são os crimes que ficam sem identificação, observem, poucos são os criminosos que não estão sendo presos, pode demorar uma semana ou duas e são presos. A Policia tem agido com eficiência e eficácia, agora ela nem ninguém pode adivinhar onde pode acontecer determinadas coisas”, frisou.

O governador lamentou profundamente os crimes em Goiana e se solidarizou com os familiares que presenciaram algo tão brutal e bárbaro de maneira tão banal.

“As pessoas não estão medindo qualquer conseqüência, é claro que não vai restituir a vida a prisão destes facínoras, a Policia vai prender e não tenho dúvidas, eles saíram de Goiana, raptaram as mulheres aqui e de lá voltaram a divisa Pedras de Fogo a Juripiranga e você vê a que ponto por que ninguém tinha a capacidade de adivinhar sobre isso, é fundamental que o Brasil crie urgentemente o Ministério da Segurança Pública”, enfatizou.

RELEMBRE: O crime começou a ser praticado em João Pessoa, quando duas mulheres e o bebê de uma delas foram sequestrados no bairro dos Bancários, Zona Sul de João Pessoa, por homens que ainda não haviam sido identificados.

As vítimas foram abordadas e conduzidas no carro de uma delas, um Fiat Siena, até a Zona Rural da cidade de Goiana, na Zona da Mata do estado de Pernambuco, a 62 km de Recife, na fronteira com a Paraíba.De acordo com oficiais da 3º Companhia de Polícia Militar de Goiana e do 2º Batalhão da PM de Nazaré da Mata, que atuam na região, as mulheres foram conduzidas a um canavial às margens da rodovia BR-101, próximo à fábrica da Jeep, onde foram e estupradas.

Após o abuso sexual, os bandidos amarraram as mulheres e passaram com o carro por cima das duas, causando a morte de uma delas. As duas mulheres foram sequestradas no bairro de Jardim Cidade Universitária, na capital paraibana, por volta das 20h do sábado.Elas foram estupradas e atropeladas, e uma delas morreu. Elas estavam em um carro com o filho de uma delas, de 9 meses, quando foram abordadas por homens em uma moto. A criança, encontrada no matagal próximo ao local do crime, em Goiana, foi socorrida para um hospital da região de Goiana e recebeu alta ainda no domingo (21). A mãe do bebê também sobreviveu.Um veículo incendiado, segundo informação Polícia Militar de Pedras de Fogo, foi localizado nesta segunda em um canavial após denúncias anônimas. Com o trabalho de perícia da Polícia Cívil ficou confirmada a numeração do chassi do Fiat Siena, usado no crime.

Henrique Lima

PB Agora