Renovação com o Santos emperra e Gustavo Henrique já mira Europa: ‘Desejo real’

O zagueiro Gustavo Henrique deve deixar o Santos no fim do ano. A renovação do contrato, que termina em três meses, não evoluiu e o defensor já fala sobre o desejo de jogar na Europa. Em entrevista nesta quarta-feira (16), o atleta comentou a situação.  “No final do ano passado, estava querendo renovar e não obtive respostas, comecei o ano na incerteza sobre ficar.

Muitos sabem que eu não estava nos planos do Sampaoli. Coloquei na minha cabeça que tinha condição de jogar aqui e com Sampaoli. Tivemos final de ano ruim, talvez ele deve ter visto nossos vídeos, meus e de outros jogadores fora dos planos. Trabalhei duro, fizemos Campeonato Paulista bom, fui um dos melhores zagueiros.  Esperava a procura pela renovação do contrato, faltavam sete meses e não fui chamado.

Creio que estou fazendo um ano, um dos melhores, talvez o melhor da minha vida. Só eu sei o que sofri para superar as lesões. Minha família sabe. Esperava o reconhecimento de me chamar antes, fui chamado faltando dois meses para poder assinar um pré-contrato”, explicou o zagueiro, que já confessa que pensa em sair.  “Sempre manifestei meu desejo de jogar um dia na Europa e fui procurado por alguns clubes do Brasil, não abri negociação, esperei o Santos tentar melhorar ou algo assim.

A partir do momento que fui chamado para receber a proposta de renovação eu estava com a cabeça de que iria sair, porque não havia sido chamado antes. Meu pensamento era ir para a Europa. Quem não quer? Foi desde pequeno isso.

A gente começou a ficar nessa divisória de ir para a Europa ou renovar. Quando recebi a proposta, pedi para meu empresário viajar para Europa para que algum clube pagasse algum valor, multa é impossível. Mas clube da Europa não vai pagar multa sabendo que ia sair em dois meses”, ressaltou.

Gustavo Henrique destacou que “o sonho de jogar na Europa é real” e revelou que recebeu outras ofertas para deixar o país. “Vou escolher o que for melhor para mim e para a minha família”, concluiu.  Renovação gera desconforto na diretoria  A renovação (ou falta de) gerou um desconforto na diretoria santista.

O superintende de futebol, Paulo Autuori, criticou publicamente a falta de acordo entre a diretoria e o jogador e falou em “erro de planejamento”. Autuori descartou, ainda, o afastamento do atleta.

“Se (Gustavo Henrique) não tiver continuidade, foi por erro de planejamento do clube. Se querem afastar o Gustavo, me afastem primeiro. Enquanto estou aqui, ele joga”, esbravejou.

O Gol