Repatriação de dinheiro será primeiro item da Agenda Brasil a ir à votação.

renan calheirosBRASÍLIA – Boia de salvação da presidente Dilma Rousseff, a Agenda Brasil, pacote de medidas anticrise anunciada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), começará a ser votada na próxima semana. De iniciais 27 pontos, a agenda aumentou para 42 itens, com a inclusão de sugestões feitas pela equipe econômica, entre elas a adoção de idade mínima para aposentadoria. Mas ainda será enxugada para que seja minimamente viável.

Os governistas sabem que a maioria das medidas não será posta em prática rapidamente, e também depende de aprovação da Câmara, que tem à frente o presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), oposicionista declarado. Mas, para eles, o mais importante é que o documento contribui para desanuviar o ambiente de crise e interromper a agenda negativa que domina o cenário desde a reeleição.

Relator da comissão que está sistematizando as propostas, Jucá disse nesta sexta-feira que priorizará medidas técnicas e econômicas. A repatriação de recursos ilegais de brasileiros no exterior será o primeiro ponto da pauta. Deverá ir à votação na próxima quarta-feira.

 

 Os outros pontos considerados fundamentais, em que há acordo com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, são a agilização dos licenciamentos ambientais, a venda de terras da Marinha; a reforma do PIS/Cofins; e o plano de responsabilidade fiscal das empresas.

— Vamos priorizar questões mais técnicas. As propostas mais políticas precisam ser aprofundadas, e precisaremos de mais tempo para votar — disse Jucá.

Renan apresentará o cronograma de votações na segunda-feira. A apresentação de um pacote de medidas para recuperar a economia e a credibilidade do país vinha sendo discutida entre Renan, Jucá e a equipe econômica do governo há dois meses. Andava a passos lentos pela relação ruim entre o Planalto e o Congresso. No entanto, o cenário mudou com o realinhamento de Renan ao governo.

O Globo