Responsável pelas finanças do estado, secretário de RC pode deixar cargo a qualquer momento

Tárcio-PessoaO secretário estadual de Planejamento, Orçamento, Gestão e Finanças, Tárcio Pessoa, pode ser exonerado do cargo a qualquer momento. O governador Ricardo Coutinho (PSB) estaria irritado com a atuação de seu auxiliar a frente da pasta e pelas constantes declarações de opositores que usam atrasos em pagamentos e até mesmo de folha de pessoal para acusá-lo de quebrar o estado.

Tárcio chegou a desmentir na imprensa que teria escondido do governador informações sobre a queda de receita do estado e dívidas que ultrapassariam a casa dos R$ 500 milhões.

“Quem conhece o perfil de Ricardo sabe que eu não teria a capacidade de enrolar o governador. Nós temos um painel de controle em que acompanhamos todos os pagamentos do estado. O governador tem acesso a todos os dados, por isso essa afirmação não tem sentido. Minha posição é ingrata, eu brinco. As demandas do estado são crescentes, eu tenho a necessidade de trancar, cortar, seu eu não tivesse o controle, o estado já teria implodido há muito tempo, se não tivéssemos um governador como Ricardo Coutinho, o estado tinha quebrado em março”, pontuou.

Tárcio Pessoa já ocupou a função de secretário-executivo do Empreender-PB, também na gestão de Ricardo Coutinho e responde pela pasta do Planejamento desde o primeiro mês do segundo governo do socialista.

Na campanha eleitoral de 2014, o então candidato a governador, Cássio Cunha Lima (PSDB), acusou Tárcio Pessoa de liberar recursos da ordem de R$ 405 mil, um dos maiores da história do Empreender-PB ao Centro Universitário Aberto Mandalla, localizado no município de Cuité, fundado pelo pai dele, Willy Pessoa Rodrigues.

Tárcio Pessoa é formado em Direito, Administração e especialista em Direito Público pela UFPB. Ele tem MBA em Gestão Empresarial pela FGV- SP. Tárcio atua há 10 anos como gestor de estratégias para sustentabilidade de organizações, na captação de recursos e formação de alianças e parcerias.

Blog do Gordinho