João Pessoa 12/12/2018

Início » Destaque » River descarta jogar final da Libertadores em Madrid

River descarta jogar final da Libertadores em Madrid

A final entre River Plate x Boca Juniors estava marcada para o dia 9 de dezembro no estádio Santiago Bernabéu

River Plate emitiu um comunicado através de seu site oficial neste sábado (1), no qual descarta a possibilidade de jogar a final da Libertadores no estádio do Real Madrid.

A final entre River Plate x Boca Juniors estava marcada para o dia 9 de dezembro no estádio Santiago Bernabéu em Madrid.

Comunicado de prensa

Comunicado de prensa del 1 de diciembre de 2018

No texto o River alega que a decisão de jogar a final na europa prejudica quem adquiriu entradas para assistir ao jogo.

Confira a nota do clube abaixo:

“A partir da apresentação feita ontem, sexta-feira 30 de novembro, antes da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL), o River Plate confirma sua recusa em mudar de local. O Clube entende que a decisão distorce a concorrência, prejudica quem adquiriu a entrada e afeta a igualdade de condições da perda do fator local.

Seguem-se as razões pelas quais o River Plate apoia a posição acima mencionada:

– A responsabilidade pelo insucesso da operação de segurança no sábado, dia 24 deste mês, ocorrida fora do perímetro preparado para o evento, foi, além de pública e notória, assumida abertamente pelas mais altas autoridades do Estado. Isso equivale a dizer que os eventos que o River Plate lamenta – e pelos quais simpatizavam de maneira oportuna – não são responsabilidade do clube.

– Mais de 66 mil pessoas no estádio esperaram pacientemente por cerca de oito horas no sábado e voltaram ao estádio pela segunda vez no domingo. A esses mesmos espectadores agora são negados – injustificadamente – a possibilidade de testemunhar o espetáculo, em virtude da evidente diferença de custos e da distância do local escolhido.

– É incompreensível que o clássico mais importante do futebol argentino não possa se desenvolver normalmente no mesmo país que nos dias que correm um G20 se desenvolve. O futebol argentino como um todo e a Associação de Futebol Argentino (AFA) não podem nem devem permitir que alguns torcedores violentos impeçam o desenvolvimento do Superclássico em nosso país.”

Esporte ao Minuto