Robinho chega em seu último dia de contrato com o Atlético e vínculo não deve ser renovado

Robinho não deve permanecer no Atlético (Foto: Bruno Cantini/CAM)

A situação gerou incomodo e o staff do atleta enviou um documento agradecendo, mas dizendo que não ficaria em Belo Horizonte na próxima temporada. Dias depois, Robinho viu seu nome ficar em segundo plano no Santos também.

O Atlético após a primeira proposta – a negada – não enviou outra. Pelo que a reportagem da Gazeta Esportiva apurou, o Galo ofereceu um contrato bem menor em valores, mas um vínculo ainda grande, dois anos. Vale ressaltar que o que deixou a insatisfação em Robinho não foi valores ou tempo, mas o fato de colocar dia e horário para dar a resposta.

Em contato com a reportagem, a procuradora Marisa Alija disse que está de férias e qualquer definição sobre o futuro do atleta será tomada somente após o ano novo.

O Galo vai se reforçando para a próxima temporada. Uma das promessas da nova diretoria vem sendo cumprida: renovar o elenco. No ataque, Erik e Róger Guedes foram anunciados. Além dele, o experiente Ricardo Oliveira também chegou. Na lateral, Samuel Xavier foi contratado e entre os volantes Arouca.

Robinho chegou ao Galo em 2016. Ele foi anunciado como reforço de peso do clube e rendeu bem na temporada. Em 2017, viveu um ano ruim, passou parte do tempo no banco de reservas, mas voltou a brilhar no fim do ano.

Quando foi anunciado, Robinho tinha um valor caro: R$ 800 mil mensais. No entanto, na época a fornecedora de material esportivo do clube prometeu de pagar a maior parte dos vencimentos. O calote foi dado e o Galo foi resolver na justiça. Desta forma, o clube mineiro assumiu o débito junto ao jogador.

Gazeta Esportiva