Rota de choque: presidente da ALPB surpreende e ironiza provocação de RC sobre ‘surra de votos’ na oposição

rxrApenas um questionamento foi suficiente para reascender o clima de acirramento entre os poderes legislativo e executivo na Paraíba.

Na manhã desta quarta-feira (27), durante inauguração do Memorial da Assembleia Legislativa da Paraíba o presidente da Casa, Ricardo Marcelo (PEN) surpreendeu com a resposta ao ser indagado sobre a provocação do governador Ricardo Coutinho (PSB), no último domingo, que afirmou que a oposição no Estado iria levar uma ‘surra de votos’ em 2014.

De uma maneira ferina, Marcelo logo retrucou dizendo: “Qual foi ocoronel que disse isso, eu não vi”, alfinetou.

O deputado, que também é presidente do PEN na Paraíba foi instigado a falar também sobre a possibilidade do ingresso do partido no chamado blocão, composto pelo PP, PT e PSC e também, de maneira monossilábica, Marcelo respondeu:

“Vamos ver e vamos estudar”, disse.

A declaração do presidente da Casa se acosta ao sentimento de vários parlamentares da oposição que se disseram inconformados com a declaração do governador, sobre a tal ‘surra de votos’, durante a comemoração de aniversário que contou, inclusive, com a presença do senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Os deputados Vituriano de Abreu (PSC), Carlos Batinga (PSC), Caio Roberto (PR) e Toinho do Sopão (PEN) foram alguns dos parlamentares que protestaram contra as declarações do Mago.

LEGISLATIVO

Já no que diz respeito a ação parlametnar, Marcelo adiantou que está na ordem do dia o credito suplementar R$ 65 milhões para o pagamento dos salários dos meses de novembro, dezembro e décimo terceiro.

“Isso é uma coisa extremamente corriqueira nos poderes, é um remanejamento dentro do seu próprio orçamento, como fizemos a alguns dias atrás, quando o governador disse que tava dando mais dinheiro para Assembleia, eu digo que não é nada disso, apenas fizemos um remanejamento dentro do nosso próprio orçamento como ele também está fazendo agora no orçamento que ele achar conveniente”, explicou.

Henrique Lima/ Márcia Dias

PB Agora