São Paulo e Cruzeiro ficam no empate no Pacaembu e não afastam sequência incômoda

São Paulo e Cruzeiro ficam no empate no Pacaembu e não afastam sequência incômoda

São Paulo e Cruzeiro não conseguiram interromper a sequência incômoda sem vitórias que enfrentam e ficaram no empate, em 1 a 1, no Pacaembu.  O Tricolor completou cinco jogos sem vencer, três no Brasileiro, e se encontra no meio da tabela. A Raposa vive situação mais complicada, com seis jogos sem vencer (quatro derrotas) e perto da zona de rebaixamento.  Cruzeiro domina, Pato marca O Cruzeiro mostrou mais tranquilidade com a posse de bola nos primeiros minutos de jogo.

O São Paulo apostava mais na ligação direta, enquanto os mineiros trabalhavam de pé em pé.  Enquanto a Raposa hesitou um pouco na primeira grande chance que teve, o Tricolor, praticamente no primeiro ataque de bola no chão, foi fatal. Reinaldo enfiou grande bola para Alexandre Pato, que invadiu a área e bateu de canhota para abrir o placar.  O time celeste, que estava melhor na partida antes do gol sofrido, não abaixou a cabeça.

Romero mandou chute da entrada da área no cantinho e Tiago Volpi se esticou todo para evitar o gol.  Volpi fez defesa ainda mais incrível minutos depois. Dedé recebeu cruzamento na área e cabeceou forte, mas o goleiro são-paulino mostrou muito reflexo para espalmar.  A melhor chance cruzeirense na primeira parte esteve com Ariel Cabral.

O argentino recebeu ótimo cruzamento de Marquinhos Gabriel na área, mas cabeceou torto, para fora.  Pressão celeste O Cruzeiro seguiu com boas jogadas na volta dos vestiários. Fred conseguiu belo passe de calcanhar para Egídio na área, e o lateral mandou para arremate perigoso de Thiago Neves.

Os mineiros aumentaram a pressão e passaram a contestar muito a arbitragem. Pediram, sem sucesso, dois pênaltis por desvios com o braço e tiveram um gol anulado.  O empate saiu com Thiago Neves. O meia cobrou falta como se fosse com a mão, por cima da barreira e sem chance nenhuma para Volpi, marcando um golaço.

A Raposa seguiu em cima, e teve tudo para virar com David, que tabelou com Marquinhos Gabriel e acabou na cara de Tiago Volpi. Só que o atacante estava tão livre que acabou se enrolando e perdeu a bola para Volpi.  O time celeste cansou nos minutos finais, e não conseguiu nem aproveitar a expulsão de Igor Vinícius.

A última grande chance esteve com Egídio, mas Volpi se agigantou de novo. A incômoda sequência sem vencer seguirá incomodando dos dois lados.

O Gol