São Paulo se recupera de derrota no clássico, goleia Chapecoense e se mantém no G4

Buscando retomar os rumos no Campeonato Brasileiro após derrota para o Palmeiras no meio de semana, o São Paulo foi até a Arena Conda, em Chapecó, para enfrentar a Chapecoense. Com a bola rolando, os são-paulinos atingiram o objetivo. O Tricolor tratou de marcar seu gol cedo e ampliou a vantagem nos contra-ataques: 3 a 0.

Com a vitória, o time comandado por Fernando Diniz chega a 52 pontos e se mantém firme no G4 do Brasileirão, na quarta posição. Do outro lado, em situação completamente oposta, a Chape parece contar os dias para confirmar sua participação na Série B de 2020. Letal, São Paulo abre vantagem em Chapecó Mesmo fora de casa, o São Paulo tratou de abrir o placar cedo em Chapecó.

Logo aos seis minutos, após lance de bola parada pela esquerda. Daniel Alves levantou para Bruno Alves, que cabeceou para o fundo das redes. A resposta catarinense veio logo na sequência. Após cobrança de escanteio, Everaldo subiu sozinho para cabecear. A bola quicou no gramado e por muito pouco não entrou.

No momento em que a Chape buscava tomar as rédeas do confronto, saiu o segundo gol são-paulino. Em rápida saída, Antony aproveitou a falha na tentativa de saída da zaga adversária, recebeu livre e serviu Vitor Bueno, que deixou Douglas e Tiepo na saudade e empurrou para dentro. A arbitragem chegou a marcar impedimento, porém, após revisão do VAR, o tento foi validado.

Nos minutos finais, o time da casa esteve perto de diminuir a vantagem tricolor. Camilo levantou bola na área paulista e Douglas subiu no terceiro andar para testar firme. Volpi, ligado no lance, apareceu para operar um verdadeiro milagre e mandar para escanteio. Na sequência, o São Paulo respondeu com Antony, que chegou a pedir pênalti em dividida com Tiepo, mas o árbitro mandou seguir.

No contra-ataque, Antony fecha a conta Na volta do intervalo, a Chapecoense voltou com uma postura bem mais ofensiva. Logo aos oito minutos, Renato soltou uma bomba de fora da área e acertou o travessão de Tiago Volpi. Pouco depois foi a vez de Arthur Gomes, que entrou no lugar de Dalberto.

O atacante fez boa jogada pela esquerda, pedalou para cima da marcação e bateu firme, obrigando o arqueiro tricolor a espalmar o perigo para escanteio Com o passar do tempo, a intensidade catarinense foi perdendo força, e os visitantes aproveitaram para colocar a bola no chão e equilibrar as ações. Aos 26, após boa troca de passes, Raniel recebeu na área e, mesmo pressionado, bateu de perna esquerda.

A finalização desviou em Rafael Pereira e, por muito pouco, não enganou Tiepo, que se esticou para fazer grande defesa. Assim como aconteceu na primeira etapa, quando a Chape começou a amadurecer seu gol, o adversário marcou novamente. Depois de quase anotar com Everaldo, de cabela, o Verdão sofreu mais um contragolpe.

Desta vez, o menino Antony avançou desde o campo de defesa, levou até a intermediária catarinense e soltou uma bomba. A bola ainda pegou no travessão antes de entrar. Belo gol. Ainda deu tempo do Bruno Alves marcar mais um. Porém, após análise do VAR, foi flagrado o impedimento do zagueiro são-paulino.

O Gol