Saúde e política urbana são eleitas prioridades no Orçamento Participativo

Foi realizada na noite desta quinta-feira (25) a primeira Audiência Regional do ciclo 2018 do Orçamento Participativo de João Pessoa. Os moradores da 4ª e 12ª Região de Participação Popular estiveram reunidos no Ginásio Odilon Ribeiro Coutinho, no Valentina Figueiredo. A 4° RPP elegeu primeiro a saúde (40,8% dos votos) e em segundo lugar ações de política urbana (29,76%) como prioridades. Já a 12° RPP considerou mais importante ações de política urbana (37,14%), seguida por ações e obras na área de saúde (31,10%).

Na oportunidade, os moradores dos bairros e das comunidades que compõem essas regiões puderam dialogar com a gestão municipal e homologaram as políticas públicas escolhidas como prioritárias durante as Reuniões Preparatórias.

O prefeito Luciano Cartaxo participou da audiência e confirmou a importância de estar presente nesse momento do OP. “É muito importante sair dos gabinetes e manter um diálogo franco e aberto com a população, ouvir suas críticas e sugestões para que possamos avançar ainda mais”. O prefeito destacou ainda o grande volume de pessoas presentes na audiência, confirmando a confiança dos moradores de João Pessoa nesse instrumento de participação popular.

De acordo com o secretário do Orçamento Participativo, Francisco José das Chagas, é visível a importância que a gestão municipal dá ao pleitos da população e que as pessoas reconhecem isso quando saem de suas casas, à noite, após um dia inteiro de trabalho, para discutir cidadania. “Aqui a população reclama, elogia e também faz uma escolha democrática e consciente das políticas públicas”.

A 4ª RPP compreende os bairros do Valentina I e II, Paratibe, Cuiá, Mussumagro, Barra de Gramame e as comunidades Frei Damião, Santa Bárbara, Doce Mãe de Deus, Praia de Gramame, Praia do Sol, Parque do Sol, Cidade Maravilhosa e Loteamento Sonho Meu. Já a 12ª RPP engloba os bairros de Gramame, Engenho Velho, Ponta de Gramame, Colinas do Sul I e II e as comunidades Conjunto Residencial Marinês e Residencial Gervásio Maia.

O Orçamento Participativo promove o diálogo direto com o poder público municipal sobre o melhor encaminhamento dos recursos públicos. O OP empodera a sociedade e fortalece o poder local, fazendo o compartilhamento de poder entre gestão e população, que participa e fiscaliza as ações do governo, além de ajudar na elaboração e implementação das peças orçamentárias: Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO); Lei Orçamentária Anual (LOA) e Plano Pluarianual (PPA).

MaisPB