Secretária de finanças Vera Lima suspende salários de professores grevistas em Santa Rita.

IMG_20150527_104358563_HDROs professores da prefeitura de Santa Rita (PB) se surpreenderam nesta sexta-feira (29) com a decisão tomada pela secretária de finanças da prefeitura de Santa Rita Vera Lima, em suspender os salários dos professores que deflagraram greve no município há trinta dias, que estão reivindicando 13,01% de piso salarial, “quem não está trabalhando não vai receber salário”, afirmou a secretária de finanças.

O presidente do sindicato dos servidores José Farias afirmou que ficou surpresa da decisão da secretária de finanças e revelou que essa retaliação veio por que o magistério em assembleia na última quinta-feira (28) rejeitou a proposta da prefeitura de 4,0% que não corresponde às expectativas da categoria, não trás nenhum avanço e nem melhorias para os professores, que os recursos repassados do Fundeb segundo estudos dá muito bem para conceder o reajuste, disse o presidente do sindicato.

De acordo com o sindicalista José Farias disse que vai agendar uma reunião com o secretário chefe de gabinete Manoel Henrique Serejo e o prefeito Reginaldo Pereira, e reunir a categoria para mais uma assembleia após essa negociação de uma nova proposta que venha contemplar a categoria índices reivindicados de 13,01% de reajuste de piso salarial para os professores, 8,8% dos que fazem o apoio da educação, implantação da Gead, além de uma pauta que estão previstas de outros setores em que os reajustes reivindicados acompanham o índice de inflação, haja vista para repor defasagem das perdas salariais salarial, disse.

O sindicalista José Farias comentou também da decisão da secretária de finanças em suspender os salários dos professores que estão no movimento grevista e disse que uma decisão equivocada “vamos aguardar até o quinto dia útil que o prazo por lei”, a greve não foi  decretada inconstitucional, estamos provocando o Ministério Público em relação ao FUNDEB, nos últimos dois anos, quantos aos avanços, perspectivas de receitas e estimativas pelos reajuste reivindicados de 13,01% indicado pelo MEC e FNDE, “essa greve se assemelha a realizada em 2012 que durou 120 dias”, estamos abertos ao diálogo desde que a proposta contemple a categoria, frisou Zé do Sinfesa.

Para o professor Onildo que é concursado a mais de 12 anos, disse que escutou com muita revolta e indignação da própria boca da secretária de finanças Vera Lima, que os salários estavam suspensos, que ela esqueça que o direito a greve é protegido por lei, e que o reajuste reivindicado é justo, a prefeitura não se planejou para o reajuste de piso salarial que anunciado em janeiro pelo governo federal, que o problema da prefeitura de Santa Rita é de gestão em uma total desorganização, afirmou o professor revoltado.

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.