Seis praias do litoral da Paraíba estão impróprias para o banho, diz Sudema

praias-paraibanasPraia do Cabo Branco, em João Pessoa, está imprópria para o banho (Foto: Krystine Carneiro/G1)

Seis praias do litoral paraibano estão impróprias para o banho neste fim de semana, de acordo com relatório divulgado na sexta-feira (9) pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema). As praias que devem ser evitadas estão nos municípios de Cabedelo, João Pessoa e Pitimbu.

De acordo com o relatório semanal, no município de Cabedelo, recomenda-se que se evite o banho na praia do Jacaré, à esquerda do estuário do rio Paraíba. Na praia do Miramar, deve-se evitar o banho próximo ao dique de Cabedelo.

O relatório ainda recomenda que, em João Pessoa, os banhistas evitem o banho na praia do Bessa, 100 metros à direita e 100 metros à esquerda do maceió. Os banhistas também devem evitar banho em trechos da da praia do Cabo Branco, no final da Rua Gregório Pessoa, 100 metros à direita e 100 metros à esquerda, e na rotatória do final da Avenida Cabo Branco, também 100 metros à direita e 100 metros à esquerda. Na praia do Arraial, está impróprio o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Cuiá.

A praia do Maceió, em Pitimbú, deve ser evitada 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Riacho Engenho Velho.

A autarquia ainda recomenda aos banhistas que evitem os trechos de praias localizados em áreas frontais a desembocaduras de galerias de águas pluviais, principalmente se houver indício de escoamento recente. As outras 50 praias do litoral da Paraíba estão próprias para o banho, com a qualidade da água variando entre excelente, muito boa e satisfatória.

A equipe da Coordenadoria de Medições Ambientais da Sudema divulga, uma vez por semana, a situação de balneabilidade das 56 praias, por meio de coleta de material para análise nos municípios costeiros do Estado. Em João Pessoa, Lucena e Pitimbu, que são praias localizadas em centros urbanos com grande fluxo de banhistas, o monitoramento é semanal. Nos demais municípios do litoral paraibano a análise é realizada mensalmente.

G1-PB