Sem encantar, Argentina vence e avança em 1º

argentina vence sem encantarNo jogo que marcou a centésima partida de Messi pela seleção, foi Higuaín quem fez a festa dos argentinos ao marcar o gol da vitória simples sobre os jamaicanos e garantir a primeira posição do grupo aos comandados por Tata Martino.

Apesar do placar magro, a alviceleste confirmou a liderança da chave, com sete pontos, e agora espera o Equador ou o terceiro colocado do grupo C, de Brasil, Venezuela, Peru e Colômbia. O segundo lugar é do Paraguai, que medirá forças com o líder dessa chave, e o terceiro ficou com o Uruguai, que pegará o anfitrião Chile, enquanto os ‘Reggae Boyz’ não pontuaram e estão fora.

O jogo

Higuaín, escalado pela primeira vez como titular nesta Copa América, realizou o jogo de número 50 pela seleção e coroou a marca abrindo o placar no estádio Sausalito, aos nove minutos. O camisa 9 recebeu dentro da área e, cumprindo a função de pivô, girou em cima da marcação para concluir no canto do goleiro Miller.

Aos 22, Higuaín quase fez o segundo, mas viu a bola tocar o travessão após encobrir o goleiro. A partida se desenvolveu em ritmo de treino. Inferior tecnicamente, a Jamaica, apesar de atrás do placar, não se abria temendo sofrer mais gols. Recuados para trás do meio-campo, os Reggae Boyz não pressionavam o adversário, que seguia trocando bolas com tranquilidade no campo de ataque. Apesar de assistirem ao jogo, praticamente, os jamaicanos não apelaram para faltas duras, e receberam apenas um cartão no primeiro tempo.

Tendo finalizado apenas duas vezes, contra 12 da Argentina, a Jamaica foi para o intervalo no lucro. Após Messi quase marcar com chute da entrada da área, que passou raspando a trave, o defensor Watson salvou a bola em cima da linha após contragolpe puxado e concluído por Dí Maria, que preferiu definir a jogada do que servir Messi.

Após o recomeço do jogo, ambos os times mantiveram a postura do primeiro tempo. A Argentina ocupava o campo de ataque durante a maior parte do tempo, mas sem muita objetividade. Aos 7 minutos, Dí Maria quase ampliou com um chute de fora da área, que explodiu no travessão. Aos 11, Messi quase deixou sua marca ao tentar encobrir o goleiro Miller, que voltou a tempo para fazer a defesa.

Nem com as entradas de Pereyra e Tevez, que substituíram Pastore e Higuaín, os argentinos conseguiram ter ânimo para aumentar a vantagem. Apostando na troca de passes, apesar da falta de objetividade, os comandados de Tata Martino administraram a vantagem apesar da pressa dos jamaicanos nos minutos finais.

O time do alemão Winfried Schafer, com as três alterações feitas, se lançou ao ataque para tentar, ao menos, um único gol na Copa América. Após a Argentina abdicar do jogo, a Jamaica tomou conta das ações ofensivas nos últimos minutos e trocou passes com liberdade na intermediária. Se sobrou vontade, faltou qualidade técnica aos convidados jamaicanos para conseguirem o empate.

Com Gazeta Press