Sem nada a comemorar, professor de Santa Rita em seu dia amarga sem reajuste, perseguição e redução de salário da gestão Panta.

É triste, más é a pura realidade da nova gestão do prefeito tucano Panta (PSDB), em si comparar com ás péssimas gestões passadas nas mesmas práticas antigas e uma metodologia de trabalho ultrapassada ao dar continuidade a perseguição, reajuste e redução de salários, afora os salários atrasados que perduram ainda servidores sem receber pagos com os recursos do próprio servidores, que ao completar praticamente um ano de gestão os servidores vivem nas ruas no sol escaldante, paralisando trânsito, levando transtorno a população em busca de salários atrasados e reajustes para completar sua renda prevista na LDB E MEC, que a gestão Panta se omite em conceder.

Sem nada a comemorar no “dia do professor”, a não ser frustração e indignação o único caminho que lhes restaram foi reivindicar pelas ruas de Santa Rita, em busca de reajuste de salários para todos os servidores  de todas as categorias,  a direção do sindicato de servidores públicos municipal de Santa Rita-PB, reafirmou que as mobilizações serão intensificadas e que o movimento a cada dia ganha força e agora com o apoio da população não vamos que se comemora a semana do educador em Santa Rita nada foi diferente, os servidores aprovaram em assembleia a unanimidade “Assembleia itinerantes nos bairros”, ao invés da gestão Panta traçar metas e discutir um planejamento de valorização do magistério e a todos que compõe a educação municipal para solucionar os atrasos que amargam o baixo índice do IDEB, que o culpado não é o professor mas sim os que gerem que é preciso antes de tudo o diálogo e a valorização valorização para mudar esse quadro negro que não tem nenhuma perspectiva a curto prazo, lamentou o presidente do sindicato.

Com a redução de salários de professor P1-B, o congelamento de salários e sem a gestão Panta sem conceder benefícios que é constitucional como terço de férias além de outros adquiridos a gestão ainda quer reduzir salários que estar concluindo o ciclo de contribuição para aposentadoria que foi admitido no serviço público entre os anos de 1982, 1983 a 1988, mesmo sem o servidor ter seus direitos a gestão Panta estar excluindo os poucos que existe e não fez nenhum investimento na educação e por fim resolveu excluir o ensino para portadores de necessidade especiais no município e que os recursos estão sendo repassados que nenhuma unidade de escolas e creches foram investidas a altura da administração, que ao completar uma ano de gestão nada foi anunciado mais que os recursos serão cobrados nas instâncias devidas.

Ainda, na semana do dia do professor o sindicato dos servidores deliberam várias ações como ofensiva para derrubar o Decreto 32/2017, do prefeito Panta que congelou todos os tipos de benefícios inclusivo os constitucional como o terço de férias e outros, como também ações em favor de aposentados e pensionistas que a gestão se omite em conceder direitos que o sindicato estará intransigentemente em defesa de quem trabalha e que o prefeito quer acharcar o salário dos servidores do quadro da prefeitura e conceder direitos a contratados e comissionados que que é pago o piso salarial federal e os servidores da prefeitura não receberam ainda como prever a constituição como improbidade administrativa.

Por fim, os servidores e o magistério darão continuidade intensificando as mobilização como as assembleias itinerantes nas comunidades levando a realidade financeira e administrativa do município, que os recursos existem e que são mal administrados com o investimento realizado pelo prefeito Panta de aproximadamente 3,6 milhões investidos em monitoramento de escolas com um quadro de quase 700 servidores de vigilantes que fazem a segurança do patrimônio público de Santa Rita, são estes tipos de coisas e fatos que a nova gestão são a mesma do passado e que serão cobrados na justiça em todas as instâncias.

A próxima assembleia itinerante será realizada nesta quarta-feira às 08:30 horas, na escola Índio Piragibe com percurso no alto das populares com seu término previsto para a escola Padre João Félix, que será anunciada na presença de todos a nova mobilização.

Infelizmente a gestão de Santa Rita trata o professor com hostilidade de marginal a não ser aqueles que estão aliados e servindo o patrão.

Lamartine do Vale