Sempre tratei ele bem”, lamenta pai baleado a mando do filho.

Mandou matar o paiHebert Marcelino Marques, 52 anos, foi baleado dentro do Hospital Estadual Roberto Silvares
O empresário e presidente da Associação de Moradores de Guriri, em São Mateus, Hebert Marcelino Marques, 52 anos, foi baleado dentro do Hospital Estadual Roberto Silvares, localizado no mesmo município, no início da manhã deste sábado (19).Hebert, que já havia alertado o vigilante do hospital sobre a possibilidade do criminoso voltar, estava deitado em uma maca, tomando soro, quando um homem chegou atirando. O atentado ocorreu por volta de 6h30. A vítima, que havia sido internada durante a madrugada, após levar um tiro no ombro, teve um total de sete perfurações. Ele recebeu alta ainda pela manhã.

De acordo com a Polícia Civil, um dos suspeitos de envolvimento no crime é Peter Falcão Costa Marques, 23 anos, filho mais velho da vítima. Ele se apresentou espontaneamente na delegacia do município após ouvir em uma rádio local que estava sendo procurado pela Polícia. Peter confessou ter mandado matar o pai.

“Ele disse que há quatro dias contratou quatro pessoas para assassinar o pai. Ele pagaria R$ 10 mil para cada uma. O motivo alegado por Peter foi porque o pai acabou de vender uma casa no valor de R$ 530 mil e ele queria o dinheiro”, informou o delegado plantonista da Delegacia Regional de São Mateus, Aldair dos Santos Pimentel.

Peter mora com a mãe em Minas Gerais e estava na casa do pai, em Guriri, há 4 meses. Na tarde desta sexta (18), após um desentendimento com o empresário, o filho mandou um taxista pegar as coisas dele na casa e retornou na madrugada deste sábado com o argumento de que teria esquecido um perfume. Ao abrir a porta para o filho, o empresário foi surpreendido por disparos.

Foto: Samira FerreiraImóvel em Guriri onde o empresário sofreu o primeiro atentado

Segundo o delegado, Peter foi até a casa do empresário e ao hospital para identificar a vítima para o bandido contratado para atirar no pai. “Na casa, foram o filho, um homem e uma moça. Mas dois dois ou três ficaram nas redondezas. No hospital foram ele (o filho), o atirador e a moça, que fez a intermediação entre Peter e o grupo de criminosos”, contou Aldair dos Santos.

Peter teve a prisão temporária decretada pela Justiça. O rapaz está detido na delegacia de São Mateus e será levado para o CDP de São Mateus. Os demais envolvidos no crime ainda não foram presos.

Ainda segundo o delegado Aldair dos Santos, Peter confessou que pratica crimes pela internet e que se auto-intitula hacker.

Empresário pressentiu crimeHebert contou que estava pressentindo que poderia ser morto. “Até porta dentro de casa que eu nunca tranquei passei a trancar. Eu estava com o perigo dentro da minha casa e poderia ter sido morto em cima da cama”, afirmou.

Para ele, o crime foi motivado por ganância. “Sempre tratei bem ele, paguei faculdade, mas não adianta, é a ganância. Quer pegar o carro, a moto, pega, mas me deixa com vida”.

Herbert disse ainda que está assustado, mas não vai mudar a rotina por causa do crime. “Não vou me amedrontar, sair da minha casa por causa de bandido”.

Sobre o filho, o empresário não descarta uma reconciliação. “Só tenho que perdoar, ele é um rapaz bonito, tinha um futuro brilhante. Não sou eu que vou condenar, mas Deus sabe o que faz”.

Falha de segurança em hospital será investigada
Segundo a diretora administrativa do Hospital, Jaqueline Ferreira, a confusão na unidade foi um caso isolado. Jaqueline afirma que, fora o empresário, ninguém chegou a ser atingido pelos disparos. Ela ressalta que foram os vigilantes do hospital que acionaram a Polícia Militar.Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde não soube explicar como o atirador conseguiu entrar na unidade. Foi aberta uma sindicância para investigar se houve falha na segurança, já que o normal é que qualquer pessoa que tente entrar na área de atendimento tem que se identificar e dizer o motivo da visita. A direção do hospital vai ouvir os funcionários que estavam de plantão.

PUBLICIDADE