Senadores preparam representação contra Flávio Bolsonaro no Conselho de Ética

Senadores preparam representação contra Flávio Bolsonaro no Conselho de Ética

Comissão Mista da Medida Provisória nº 866, de 2018: Cria empresa pública NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea: apreciação do relatório. Em destaque, relator da CMMPV 866/2018, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Imagem de arquivo do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)

Após o Ministério Público do Rio de Janeiro pedir a quebra do sigilo bancário de Flávio Bolsonaro por suspeitas de irregularidades, senadores se articulam para representar contra o colega no Conselho de Ética da Casa.

O processo, que ainda será aberto, pode levar à cassação do mandato de Flávio. Pelo menos cinco parlamentares da oposição já consultaram a mesa diretora sobre a possibilidade de pedir a cassação do parlamentar.

A questão é que o Conselho de Ética do Senado sequer foi instalado, ou seja, o colegiado nem existe ainda. Para que os trabalhos comecem, os partidos precisam indicar os senadores que farão parte. Depois, essa composição precisa ser votada e aprovada pelo plenário da Casa. Só aí o colegiado é instalado, o presidente e vice eleitos, e os trabalhos podem começar.

De qualquer forma, a apresentação oficial da representação pode acelerar o processo de instalação do Conselho.

É bom deixar claro que a apresentação e consequente análise da representação não significa, necessariamente, que o senador perderá o mandato. Os membros do colegiado podem simplesmente rejeitar o processo. Tudo vai depender, mais uma vez, da articulação do governo, que, quando for o caso, precisará trabalhar junto aos partidos para que indiquem parlamentares aliados do Palácio do Planalto.

Jovem Pan