Será que Portugal está pronto para combater desafios econômicos do século XXI?

Será que Portugal está pronto para combater desafios econômicos do século XXI?

Às margens do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo a Sputnik Brasil falou com o secretário de Estado da Economia de Portugal, João Neves, que explicou como o país europeu planeja estimular sua economia na era digital.

Uma das questões discutidas no âmbito do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo foi como melhorar a qualidade de vida da classe média e como ajudar as pequenas e médias empresas a sobreviverem em meio à implementação de inteligência artificial e outras tecnologias inovadoras.

Logo do BRICS

O secretário de Estado da Economia, João Jorge Arêde Correia Neves, revelou à Sputnik Brasil, que passos está adotando Portugal para superar desafios do século XXI e como transformar o mercado de trabalho em meio ao avanço da robótica.

“Atualmente temos uma taxa de desemprego muito baixa. O crescimento que temos tido tem permitido aumentar o emprego. Evidentemente que vai haver transformações, imperfeição das alterações do sistema econômico”, revelou ele, sublinhando que digitalização de economia pode transformar o emprego e melhorar sua qualidade.

Quanto à economia digital, os especialistas por tudo o mundo indicam a necessidade de promover digitalização porque traria benefícios amplos e profundos para a sociedade e Portugal não é exceção.

Bandeira portuguesa perto da Câmara Municipal de Lisboa, 8 de novembro de 2013 (imagem de arquivo)

“Nós temos um programa em Portugal para a economia digital, lançamos há dois anos. Iniciamos este ano uma nova fase. O que propomos fazer é ajudar as pequenas e médias empresas a fazer transformação digital o mais rapidamente possível para aumentar sua capacidade empresarial nos mercados globais”, disse o secretário.

Entretanto, o economista sublinhou que mesmo na época moderna muitos países, incluindo Portugal, estão enfrentando desafios econômicos e sociais tradicionais que devem ser resolvidos para atingir crescimento sustentável.

“Qualidade de vida de classe média depende muito de nível de rendimento que gera a economia. Nós tivemos sucessos no crescimento econômico e acho que o que propomos fazer é política de redistribuição do rendimento e isso é muito importante para diminuir as desigualdades econômicas que possam existir”, concluiu João Neves.

O XXIII Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF) está sendo realizado entre 6 e 8 de junho. O Fórum, organizado anualmente, representa uma plataforma para comunicação entre os representantes da comunidade empresarial e discussão das principais questões econômicas. A partir de 2006, o SPIEF passou a contar com o patrocínio do presidente da Rússia Vladimir Putin.