Servidora denuncia perseguição e assédio moral em unidade de saúde de Santa Rita

A denúncia circula nas redes sociais há dois dias.

Segundo o perfil ‘Funcionariossaude Santarita’, uma servidora do município de Santa Rita teria sofrido assédio moral no interior da Unidade de Saúde Padre Malagrida, no Tibiri 2.

Sem, até então, ter autorização da envolvida para divulgar seu nome, seria mais uma denúncia contra a gestão de Emerson Panta a evaporar, já que não haveria nomes a dar aos “bois”.

Os operadores do próprio perfil contataram a redação do News Paraíba, mas, de mãos atadas, não podiam fazer muito pela colega.

Nos comentários da postagem, choveram questionamentos acerca dos nomes dos envolvidos, já que, sem saber de quem se trata, sequer daria para defender ou argumentar na rede sobre o assunto e assim ajudar a causa.

Eis que nesta quinta-feira (5), a principal interessada faz contato pessoalmente com o ‘News’, confirma as informações do perfil ‘Funcionariossaude Santarita’ e nos autoriza a contar a história ocorrida no Malagrida.

Trata-se de ninguém menos que a enfermeira concursada Iracema Filgueira, que, segundo, a própria tem sofrido assédio moral do diretor da unidade de saúde de pré-nome Zezinho.

De acordo com o primeiro post, feito na madrugada da última quarta-feira (4), ao chegar atrasada, Iracema teria sido abordada pelo diretor de forma truculenta, dentro de uma sala onde ouviu palavras ásperas e de onde só conseguiu sair escoltada pela polícia, configurando o assédio moral no ambiente de trabalho.

“a enfermeira chegou para trabalhar alguns minutos atrasada. Logo recebeu a visita do diretor que trancou a porta e começou a agredi-la verbalmente com gritos, socos na mesa e ameaças completamente descontrolado. Foi qd a enfermeira apavorada ligou p o 190 e veio uma viatura da policia ate o Posto para que ela pudesse sair em segurança de la. Saiu escoltada pelos policiais ate a delegacia onde prestou queixa sobre o ocorrido”, relata o perfil.

Confira o relato, na íntegra:

Nesta quinta, em contato conosco, Iracema fez relatos da forma como tem sido tratada no seu local de trabalho e fez queixas da forma como a direção da unidade tem se comportado com relação a ela

“É evidente o uso da máquina para esmagar o servidor, que só quer cumprir com as suas obrigações, assim como quer fazer valer os seus direitos. Talvez a minha postura intransigente quanto ao que nos é de direito esteja fazendo com que eu sofra esse tipo de represália”, relatou a enfermeira.

“A forma como ele trata os funcionários não é correta. Estamos trabalhando com medo, é muita perseguição. Precisamos nos unir e denunciar o que estamos passando dentro dessas unidades, meu caso não é isolado, há várias situações ocorrendo diariamente no município” afirmou.

Iracema também comentou o fato de ter prestado a queixa.

“Prestei a queixa, sim. E há informações que o senhor Zezinho já tem duas testemunhas arranjadas para depor em seu favor na delegacia. Se ele apresentar pessoas que não estejam cientes do caso, mas que forem lá pra livrar a cara dele, vou denunciar isso também. Esse caso não ficará no esquecimento. Eu mereço e exijo respeito. É o mínimo que posso esperar das pessoas, já que não vivo ofendendo ninguém”, disse Iracema.

Em novo post do perfil ‘Funcionariossaude Santarita’, nesta quinta-feira, os servidores denunciam uma suposta manobra da Secretaria de Saúde e do Departamento de Atenção Básica, que teriam orientado o suposto agressor a ir á delegacia com o que chama de “falsas testemunhas”, confirmando o que Iracema havia declarado ao portal no último contato.

Tentamos contato com a Secretaria de Saúde, mas não obtivemos resposta.

O espaço está aberto para todas as partes envolvidas responderem ou darem suas versões.

Germano Costa

News Paraíba