João Pessoa 22/04/2019

Início » Câmara em foco » Servidores de Santa Rita moblizados decidem acatar prazo da proposta de Panta em 15 dias por reajuste

Servidores de Santa Rita moblizados decidem acatar prazo da proposta de Panta em 15 dias por reajuste

Em assembleia geral realizada na manhã desta quarta-feira (30), no sindicato de servidores de Santa Rita-PB-Sinfesa, recebeu um comunicado por meio de ofício da gestão da prefeitura de Santa Rita solicitando prazo de quinze (15), para consultar a sua equipe de finanças para calcular o impacto na folha de pagamento da prefeitura para apresentar uma proposta de reajuste para os servidores da prefeitura que estão sem receberem aumento desde que a a gestão Panta assumiu a administração Municipal.

A categoria em assembleia geral em sua sede lotada de servidores mesmo estando em processo de negociação com a prefeitura decidiram por mairia por conceder o prazo solicitado pela gestão Panta e, na ocasião, os servidores aprovaram por unanimidade por uma nova assembleia geral agendada para o dia 13 de Fevereiro às 09 horas, preparando a categoria do prazo concedido para a prefeitura de Santa Rita apresentar a sua proposta de reajuste de servidores no dia 15/02 que será avaliada pelos servidores de Santa Rita em sua sede.

O presidente do sindicato José Farias fez uma avaliação dos dois primeiros anos de governo que a gestão Panta não concedeu um reajuste do magistério, ao servidores que fazem o apoio da educação municipal, reajuste a categoria dos vigilantes além do adicional noturno, reajuste dos ACS e ACE que foi sancionado pelo governo Federal que não foi anunciado ainda pela gestão Panta, carga horária do magistério que está sendo interpretada de outra forma prejudicando o servidor, a questão do aposentado e pensionista, a reducação de salário de professores P1, de salários atrasados e terço de férias de 2016 além de  terço de todos os servidores de 2016-2017,. 2017-2017, 2017-2018 e 2019 e as faltas do movimento grevista que não foi cumprida pela gestão Panta, que para o sindicalista afirmou que dois anos sem reajuste e caminhando para o terceiro é só esperar a proposta da prefeitura e decidir o que o futuro dos servidores que ninguém aguenta mais esperar por perdas salariais, pelo qual na assembleia escolheu uma comissão para acompanhar a reforma do PCCR da educação para discutir e sugerir para que não haja mais perda para a categoria, frisou.

Já para o servidor José Feitosa disse que mesmo com o prazo concedido para a prefeitura de Santa Rita avaliar suas finanças e o servidor na sala de aula e ao mesmo tempo mobizado, sugeriu na assembleia continuidade pelas mobilizações e visitas ao procurador de justiça para alertar da realidade das condições finanças das receitas de transferências durante os repasses da gestão Panta  e não se sabe por que?  não concedeu os reajuste a todos os servidores com uma LOA de 2019 orçada em R$ 300 milhões e na secretaria de educação o montante é de R$75 milhões para 2019 que não há como negar reajuste ao servidor, declarou Feitosa.

Ansiosos, servidores entram para o terceiro ano da gestão Panta sem conceder reajuste e na oportunidade, todas as categorias estão unidas pela proposta da prefeitura prevendo um reajuste para abater boa parte da defasagem e perda salarial de todos os servidores e, caso, a gestão não entender a posição dos servidores a única solução que os restam é a greve geral.

Lamartine do Vale