João Pessoa 23/03/2019

Início » Notícias » Setor de serviços fecha 2018 com queda de 0,1%; 4º ano seguido de retração

Setor de serviços fecha 2018 com queda de 0,1%; 4º ano seguido de retração

Setor de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio aumentou 1,2% em 2018F

O setor de serviços fechou 2018 com queda acumulada de 0,1%. Foi o 4º ano seguido de retração, segundo dados divulgados nesta 5ª feira (14.fev.2019) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Desde 2015, o volume de serviços prestados no país caiu 11,1%. A perda do ano passado, no entanto, foi menos intensa que a registrada em anos anteriores. Em 2015, a queda foi de 3,6%, em 2016, de 5%, e em 2017, de 2,8%.

Em dezembro, o setor variou 0,2% frente ao mês anterior, mantendo o quadro de estabilidade verificado em outubro (0,1%) e novembro (0%).

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior (série sem ajuste sazonal), o volume caiu 0,2%, interrompendo uma série de 4 taxas positivas seguidas nessa comparação.

O resultado do setor veio no sentido contrário ao da produção industrial, que cresceu 1,1%, e das vendas do varejo, que avançaram 2,3%.

QUEDA EM DUAS DAS 5 ATIVIDADES

Em 2018, os serviços acumularam queda em duas das 5 atividades investigadas pelo IBGE. O mesmo foi verificado em 58% dos 166 serviços analisados.

O maior impacto negativo veio de serviços profissionais, administrativos e complementares, com queda de 1,9%. De acordo com a instituição, o setor foi “pressionado, em grande parte, pela retração na receita vinda dos segmentos de atividades de cobranças e informações cadastrais, de soluções de pagamentos eletrônicos, de serviços de engenharia e de vigilância e segurança privada”. 

Outro setor que recuou foi o serviços de informação e comunicação (-0,5%), afetado principalmente pela menor receita recebida pelas empresas de telecomunicações.

As principais contribuições positivas, por outro lado, vieram de: transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,2%), outros serviços (1,9%) e serviços prestados às famílias (0,2%)

Eis os resultados do ano:

  • outros serviços: 1,9%;
  • transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio: 1,2%;
  • serviços de informação e comunicação: -0,5%;
  • serviços prestados às famílias: 0,2%;
  • serviços profissionais, administrativos e complementares: -1,9%.

QUEDA EM 23 UNIDADES DA FEDERAÇÃO

Na análise por Estados, o setor recuou em 23 das 27 unidades da federação. O principal impacto negativo veio do Rio de Janeiro (-3,2%), com destaque ainda para Ceará (-7,1%), Bahia (-3,3%), Paraná (-1,7%) e Rio Grande do Sul (-1,7%).

Por outro lado, São Paulo (2,1%) registrou a contribuição positiva mais relevante sobre o índice nacional.

ATIVIDADE TURÍSTICA

No acumulado de 2018, o índice de atividades turísticas cresceu 2% frente a igual período do ano passado. Regionalmente, 8 dos 12 locais investigados registraram taxas positivas, com destaque para São Paulo (5,1%), Pernambuco (4,4%), Ceará (6,6%) e Minas Gerais (1,3%).

Já Rio de Janeiro (-3,4%) e Paraná (-5,9%) tiveram as principais influências negativas.

Poder360