Sinfesa debate pauta de reivindicação com setor de vigilancia e guarda municpal é prioridade - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Sinfesa debate pauta de reivindicação com setor de vigilancia e guarda municpal é prioridade

downloadA direção do sindicato dos funcionários públicos de Santa Rita – SINFESA, realizou na manhã deste sábado (15), em sua sede na Juarez Távora 370 centro, uma assembleia com funcionários do setor de vigilância (segurança) da prefeitura municipal, na oportunidade foram discutidos uma série de reivindicações que foram abordadas  pela atual gestão  que está se omitindo a cumprir os direitos em lei como  terço de férias, correção de adicional noturno, o valor descontado sobre as faltas dos funcionários cobrado  pela gestão no 70,00, periculosidade, acúmulo de férias vencidas que foi aprovado pelo PCCR, além da implantação da guarda municipal.

O debate foi coordenado pelo presidente do Sinfesa José Farias, que apresentou uma pauta de reivindicação com a categoria onde foram debatidos em primeiro lugar como as faltas dos funcionários na prestação de serviço que a prefeitura vem cobrando em folha de pagamento no valor de R$ 70,00 equivalente de um salário mínimo, que tem funcionário que chega no final do mês com contra cheque zerado com sete a oito faltas mês, antes o valor cobrado era de 30,00 R$,  a gestão tem que reavaliar este valor, ponderou o sindicalista.

A pauta extensa de reivindicações foi debatida com a categoria e a direção do sindicato que já vem adiantando esse diálogo com a gestão terço de férias que será pago com data definida. Outra reivindicação foi o acúmulo de férias vencidas que foi sugerido pela categoria contratar uma equipe de pessoas para suprir a ausência do vigilante no posto no período de férias e a criação de um calendário pra não prejudicar o local de trabalho e nem tão pouco o funcionário, além do adicional noturno  que está defasado com base na inflação que atualmente chegaria aproximadamente R$ 145,00 e não 78,00 como a prefeitura vem pagando,  e a periculosidade que a gestão se omite em não pagar cobrado pela categoria devido a  grande violência e foi sugerido no debate um uniforme para categoria, haja vista que o vigilante exerce outra função no local de trabalho, cobrou a categoria do gestor.

Já para o vigilante Bené Andrade, que a dez (10) anos é funcionário e presta serviço na área de vigilância, sugeriu um novo debate na Câmara municipal de Santa  Rita, para  implantação da guarda municipal que teve prioridade em toda assembleia e que vem sendo pauta desde o ano passado. Bené sugeriu a presença das autoridades municipal, estadual e federal, como Ministérios do Trabalho, Público local e Federal, com os vereadores e representante do executivo.

Bené ressaltou ainda sobre a guarda municipal que na grande região metropolitana já implantaram sua guarda em parceria com o governo Federal e o município, não vai afetar e onerar os cofres da prefeitura, Noé temos o projeto pronto a exemplo da capital, Cabedelo, Conde, Bayeux, além de outros municípios. Disse ainda que após implantação da guarda a violência caiu 50 % nas escolas nessas cidades, são dados do IBGE, e é mais um tipo de segurança preventiva,  que vai trabalhar em conjunto coma polícia militar, uniformizado e com a participação da sociedade. Concluiu o agente de segurança

O presidente do sindicato acatou todas as reivindicações e sugestões dos funcionários de vigilância, que vai formar uma comissão para abrir o debate com o executivo e a Câmara Municipal e em seguida provocar o debate no parlamento com as autoridades, a direção do Sinfesa se comprometeu com a categoria que hoje é composta de mais 550 funcionários.

Lamartini Do Vale