Sob risco de não ir à Copa, Argentina vive drama com vários interessados

Empate com o Peru em La Bombonera complicou o cenário para a Argentina de Lionel Messi 

A classificação da Argentina à Copa do Mundo ainda depende só dos comandados de Jorge Sampaoli — basta uma vitória sobre o já eliminado Equador, nesta terça-feira, para garantir ao menos a disputa da repescagem contra a Nova Zelândia. Mas o Equador não pretende levar a campo a despretensão que se espera de quem já não tem chances de ir à Rússia. O técnico interino Jorge Célico adotou um tom nacionalista ao falar sobre o duelo decisivo:

— Que se encham o estádio, os arredores e as praças. Que as pessoas se reúnam em suas casas em frente à televisão. Precisamos deste empurrão.

Já classificado, o Brasil, que poderia dar sua “contribuição” ao calvário argentino, não pretende tomar parte no drama alheio. Primeiro porque o técnico Tite preza pela ética no esporte, mas também porque que ainda precisa fazer testes no time.

Torcedores do Chile, adversário da seleção na terça-feira, têm feito campanhas nas redes sociais para que o Brasil entregue o jogo e dificulte as chances de uma classificação direta da Argentina.

Neste clima, temperado pela eterna rivalidade Brasil x Argentina, o “La Nación” escreveu um artigo exclusivo para O GLOBO, que contribui com o debate também com um artigo, de Carlos Eduardo Mansur. Leia as análises:

O Globo