Societas: Empresário se apresenta à polícia, nega golpe de R$ 3 mi e diz que vai processar ex-sócia

O empresário Ioannis de Luna, que foi acusado de fraudação de documento público, falsidade ideológica e estelionato, num suposto golpe que teria desviado mais de R$ 3 milhões de um norueguês, contou em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, nesta sexta-feira (19), que tudo não passou de uma mentira da esposa do norueguês, Julia Cristina e sua irmã, Paula Cristina, e que ele saiu lesado na parceira que tinha com a família, vindo a entrar com uma ação trabalhista na Justiça.

Ioannis reclamou que além de ter seu nome exposto, vindo a ser declarado procurado pela Polícia Civil, um primo seu George Sousa, também foi citado nas declarações. Ioannis foi alvo da Operação ‘Societas’ deflagrada nesta quinta-feira (18).

O empresário afirmou que não houve nenhum dos crimes citados na operação e que ele possui todos os documentos autenticados, mostrando os contratos dos três empreendimentos construídos em parceria com Julia e Paula.

De acordo com Ioannis, ele já se apresentou à delegacia onde entregou todas as provas e que vai tomar as medidas cabíveis judiciais, alegando que foi constrangido pelo fato de ser nome ter sido divulgado, assim como o do seu irmão.

Na sua versão, Ioannis afirma que Paula e seu esposo vieram morar no Brasil em 2010 e que a parceria com eles começou em 2011 quando o empresário foi convidado para trabalhar com a mulher em dois empreendimentos, no terceiro, de acordo com Ioannis, Paula não teve condições de investir e o empresário alegou que teria feito um empréstimo de R$ 558 mil e que não foi recuperado.

    “Entrei com uma ação trabalhista. Houve um desentendimento em abril de 2017, a sociedade terminou e eu procurei meus direitos principalmente a trabalhista e o ressarcimento do meu empréstimo”, disse.

    O empresário ainda questionou o fato de Paula alegar que levou um golpe de R$ 3 milhões, sendo que em seu imposto de renda e da sua irmã os valores anuais são inferiores. “Vou passar para a Receita para averiguar essa questão, porque dinheiro vindo do exterior tem que ter comprovação, estamos levando aos órgãos competentes”.

    A respeito da suposta fuga, o empresário afirmou que deixou seu apartamento para juntar documentos e fazer cópias para apresentar à polícia.

    Confira:

    Marília Domingues / David Martins