STF determina transferência do dinheiro de Cunha da Suíça.ia

STF determina transferência do dinheiro de Cunha da Suíça.

cunha aliadosBRASÍLIA – O ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira a transferência do dinheiro depositado em nome do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Suíça – que, segundo o Ministério Público Federal, são 2,4 milhões de francos suíços, equivalentes a cerca de R$ 9,6 milhões. O dinheiro está bloqueado na Suíça e, por decisão do ministro, será mantido da mesma forma no Brasil.

Pela decisão, a transferência dos valores será feita com base no Tratado de Cooperação Jurídica firmado com a Confederação Suíça, conforme o Decreto 6.974, de 2009. Ainda segundo Zavascki, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fica autorizado a “promover as diligências correspondentes junto à Autoridade Central brasileira”. A íntegra da decisão não foi divulgada pelo STF.

Também hoje, o STF negou o pedido de Cunha para que a investigação do caso corra em segredo de justiça. As investigações tratam das contas mantidas na Suíça por ele. Também são alvo do inquérito a mulher do parlamentar, Cláudia Cruz, e a filha dele, Danielle Dytz da Cunha Doctorovitch. Segundo relatório do Ministério Público suíço, Cláudia Cruz pagou US$ 59,7 mil por aulas de tênis no centro de treinamento do ex-tenista Nick Bollettieri em Bradenton, na Flórida, em julho de 2008.

De acordo com documentação enviada pelo Ministério Público suíço ao Brasil, para abrir contas na Suíça, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), usou um esquema internacional de laranjas que está a serviço de quem quer ter dinheiro no exterior sem deixar rastros. A empresa offshore que aparece nos registros da conta de Cunha no banco Julius Baer tem controladores que aparecem como presidentes, diretores ou procuradores em outras 400 empresas no Panamá, um conhecido paraíso fiscal.

O Globo