João Pessoa 15/12/2018

Início » Variedades » STJD aumenta pena do atacante Sassá, do Cruzeiro, por confusão em jogo contra o Palmeiras

STJD aumenta pena do atacante Sassá, do Cruzeiro, por confusão em jogo contra o Palmeiras

Camisa 99 precisará cumprir mais três jogos de suspensão por soco em Mayke

O Tribunal Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) aumentou de seis para oito jogos de suspensão a pena do atacante Sassá, do Cruzeiro, pela agressão no lateral-direito Mayke, do Palmeiras. A confusão entre os dois aconteceu no jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil, disputado em 26 de setembro, no Mineirão.

Continua depois da publicidade

Na ocasião, os mineiros empataram com os paulistas por 1 a 1, e o camisa 99 acabou acertando um soco na cara do lateral alviverde em briga generalizada ao fim do duelo. Apesar do empate, a Raposa avançou para decisão pelo placar do jogo de ida (1 a 0) e levantou o troféu do torneio mata-mata ao derrotar o Corinthians nas duas partidas da final (1 a 0 e 2 a 1).
Em 11 de outubro, na véspera do segundo jogo da final, o STJD havia julgado Sassá com seis jogos de suspensão. Nesta quinta, porém, o Pleno reavaliou o caso e resolveu aplicar mais duas partidas ao atacante. Desta forma, seu retorno aos gramados deverá acontecer apenas no compromisso do Cruzeiro diante do São Paulo, em 18 de novembro, às 19h, no Morumbi.
O camisa 99, que já desfalcou o time celeste em cinco oportunidades, seguirá sendo problema para Mano Menezes nos duelos contra América (4/11, às 17h, no Independência), Atlético-PR (10/11, às 19h, na Arena da Baixada) e Corinthians (14/11, às 21h, na Fonte Nova).
O episódio
No fim do jogo entre Cruzeiro e Palmeiras, uma disputa de bola entre o zagueiro Leo e o volante Felipe Melo deu início ao tumulto. Os atletas trocaram pedidos de desculpa, mas quem estava fora do lance levou o choque a sério.
No meio da confusão, Mayke recebeu de Sassá um soco em cheio no rosto, enquanto Diogo Barbosa agrediu Lucas Romero com um tapa. Ajudado pelo árbitro de vídeo Anderson Daronco (FIFA/RS), o carioca Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ) expulsou todos os agressores e relatou o ocorrido na súmula da partida.
No caminho para os vestiários do Mineirão, Mayke e Sassá voltaram a se estranhar e foram contidos por seguranças dos clubes. Imagens de vídeo registradas na zona mista do estádio ajudaram os auditores do STJD a tomarem a decisão nesta quinta-feira.
SuperEsportes