Suíços se recusam a adotar maior salário mínimo do mundo - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Suíços se recusam a adotar maior salário mínimo do mundo

MAIOR SALARIO MINÍMO DO MUNDOAs pesquisas de boca de urna indicam que os suíços rejeitaram neste domingo (18), por referendo, a instauração de um salário mínimo no valor de 3,3 mil euros (10 mil reais) por mês, o que seria o mais alto do mundo. A iniciativa foi apresentada por sindicatos, que defendem a criação de um salário mínimo único de 22 francos suíços por hora (54 reais), o que representa 4.000 francos suíços brutos por 42 horas semanais.

De acordo com a pesquisa do instituto GFS.bern, apenas 23% dos suíços concordaram com a proposta. A margem de erro é de 3%.

As urnas fecharam ao meio-dia local (7h em Brasília). O “não” deve ser vencedor em Genebra (66,2% dos votos) e na Basiléia (62,3%), entre outras regiões.

A iniciativa teve a oposição da direita, do setor agrícola, do Parlamento e do governo, que a consideram um perigo para o emprego e destacam a existência de salários mínimos em alguns setores. Grande parte da população teme que o salário mínimo – que seria o maior do mundo – provoque um aumento do desemprego, um fenômeno quase inexistente na Suíça – o índice de abril foi de 3,2%.

Os sindicatos e partidos de esquerda, por outro lado, afirmam que o custo de vida elevado na Suíça justificaria a existência de um salário mínimo tão alto. Na França, o salário mínimo é de 9,43 euros por hora (28,5 reais), na Espanha é de 5,05 euros (15,3 reais) e na Alemanha será de 8,5 euros (25,7 reais) a partir de 20105.

Outras questões

 

O referendo incluiu outras questões, como a proposta de compra de 22 aviões de combate suecos Gripen. As projeções indicam que a compra foi rejeitada com uma margem estreita – o “não” venceu por 52% dos votos, de acordo a televisão suíça.

 

A aquisição dos caças era defendida pelos partidos de esquerda e os Verdes. O governo e o Parlamento decidiram pela compra de 22 aviões Gripen porque consideram que parte das aeronaves de combate das Forças Armadas suíças estão “obsoletas”. Mas os críticos do projeto afirmam que o valor pelos Gripen é muito elevado, que a Suíça está cercada de países amigos e que o modelo de avião, que atualmente existe apenas no papel, não oferece as melhores características.

 

A única iniciativa que certamente será aprovada neste domingo será a proibição, pelo resto da vida, de exercer uma atividade profissional ou voluntária em contato com crianças ou deficientes para os condenados por abusos sexuais contra estes grupos.

 

RFI