Supertufão Haiyan mata mais de cem em cidade filipina

tufão umAutoridades das Filipinas informaram neste sábado que mais de cem pessoas morreram durante a passagem do supertufão Haiyan pelo país. O número, no entanto, leva em conta apenas as vítimas em Tacloban, uma cidade de 220 mil habitantes na província de Leyte, no leste do arquipélago. Relatos de autoridades locais descrevem cenas de devastação na localidade, com dezenas de corpos espalhados pelas ruas e a maior parte das casas destruídas. “Parece que um tsunami passou por aqui”, afirmou uma repórter da CNN que sobrevoou a cidade.

Um dos maiores ciclones já registrados em toda a história, o Haiyan atingiu a costa leste das Filipinas na sexta-feira com ventos de mais de 300 quilômetros por hora, deixando um rastro de destruição no arquipélago. A força do vendaval derrubou casas, postes e provocou deslizamentos de terra, causando sérios danos à infraestrutura local. Chuvas torrenciais provocaram inundações na região e transformaram ruas em córregos repletos de entulho.

Vítimas – O governo do país acredita que o número total de vítimas da catástrofe e a real extensão do prejuízo causado pelo tufão só serão conhecidos após a passagem do fenômeno, quando todas as comunicações com as áreas mais isoladas do país começarem a ser restabelecidas. “Acreditamos que o nível de destruição causado pelo Haiyan seja extenso e devastador e, infelizmente, tememos que muitas vidas serão perdidas”, disse a diretora da organização Salve as Crianças Filipinas, Anna Lindenfors, à rede BBC.

Recorde – Segundo estimativas dos meteorologistas, o tufão Haiyan pode ser a tempestade mais poderosa já registrada em toda a história. O recorde só poderá ser confirmado após análises posteriores, depois da passagem do fenômeno. Um indício da força do ciclone é que dois terços das Filipinas foram tomados pelas nuvens provenientes do fenômeno. O diâmetro da tempestade ultrapassou 1 000 quilômetros.

 

 

Veja