Suplemento: os cinco erros mais comuns

Suplemento: os cinco erros mais comuns

suplementosO corpo bonito e em forma é o principal objetivo dentro das academias. E para dar um empurrãozinho, os suplementos entram em cena. Só que alguns erros, muito comuns, podem fazer o efeito inverso no organismo: prejuízos à saúde e também ao bolso, porque a pessoa vai gastar dinheiro à toa.
Há cinco meses, a administradora Marina Rodrigues, 25, tem malhado com frequência, mas os resultados não estão aparecendo. Ela procurou orientação de nutricionista e ouviu que precisa usar suplemento alimentar.
“Ainda não comecei a tomar, mas já comprei os suplementos. Antes, não havia pensado nisso, pois já ouvi tantos casos de gente que teve problemas de saúde por uso inadequado”, comenta ela.
Essa preocupação de Marina muitos frequentadores de academia não têm. E esse é um dos cinco erros de quem usa suplementos alimentares, explica o nutricionista Diogo Henriques Círico, da GSuplementos. A suplementação deve ser feita apenas por quem precisa.
“O uso de suplementos não é restrito aos praticantes de atividade física, é restrito àqueles que realmente necessitam de suplementos”, explica ele.
E como era esse o caso da Marina, agora ela está mais tranquila. “Como eu precisava, já comprei e vou poder usar sem medo”, brinca.
O profissional afirma ainda que a suplementação é válida e benéfica quando é orientada da forma correta por um médico ou um nutricionista.
“Um complemento vitamínico e mineral pode ser usado por um adolescente que, por causa da faixa etária, apresenta consumo alimentar inadequado, dando preferência a produtos industrializados e sem qualidade nutricional”, exemplifica.
Na academia
Dentro das academias, outro erro muito comum é a troca de informações entre frequentadores sobre determinados suplementos que “trariam” algum benefício ou resultado.
Mas para quem acompanha o ritmo de malhação dos outros, o cenário é preocupante. O educador físico Luan Zatt, da Academia Fórmula, afirma que é muito comum a pessoa comprar suplemento alimentar por ouvir dizer que vai ajudar nos objetivos.
“É visível nas academias. Quando a alimentação está legal, balanceada, você tem resultado rapidamente, com ou sem o suplemento. Mas tem gente que deixa a alimentação totalmente de lado, tomando só suplementos, e acha que vai trazer milagres”, afirma.
Ao lado, veja os cinco principais erros cometidos por quem consome suplementos alimentares.
Nas situações abaixo, você está errando
Sem recomendação
Os suplementos são parte de uma estratégia, e não ela toda. Sozinhos eles podem se transformar em dinheiro jogado fora, não promoverem nenhuma mudança no organismo e o pior: colocar em jogo a saúde. Só o médico ou o nutricionista tem a capacidade de diagnosticar a necessidade de inserção de suplementos na rotina. Cuidado com conselhos e dicas.
Substituir a comida
Nunca faça essa troca. Usar suplementos na rotina alimentar é para complementar uma ingestão insuficiente ou melhorar o que está sendo praticado. Os alimentos possuem todos os nutrientes que você precisa, mas, às vezes, em quantidade e qualidade insuficientes. Nesses casos, usamos suplementos para atingir esta necessidade.
Além do limite
Esse é um dos erros mais comuns. O organismo é como uma máquina e precisa de combustível em quantidade e qualidade ideais. Consumir a mais serve apenas para acabar com seu pote de suplementos mais rápido e para exceder a quantidade energética necessária, além de gerar gorduras.
Usar como remédio
Quando consumidos suplementos e alimentos em uma dieta adequada, o suplemento fornece um estado de saúde ideal. Mas engana-se quem pensa que terá algum benefício extra. E ainda pode trazer sérios riscos à saúde de quem exagera no uso de suplementos alimentares pensando em curar algum problema.
Uso desnecessário
É comum encontrar pessoas que desejam mudar a composição corporal consumindo suplementos. Ingerir suplementos sem ter uma rotina de treinos para mudar o físico é tão eficiente quanto tapar o sol com a peneira. Caso não haja necessidade da suplementação, o consumo de suplemento não vai mudar o corpo.
Fonte: nutricionista Diogo Henriques Círico
Gazeta Online