Suplicy escapa de golpe telefônico por presidiário - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Suplicy escapa de golpe telefônico por presidiário

senador suplicyO senador Eduardo Suplicy (PT-SP) escapou por pouco de cair em um golpe manjado de presidiários brasileiros. De acordo com o jornal O Globo, o petista recebeu uma ligação na sexta-feira (24) de um presidiário se passando por um dos seus sobrinhos. O pedido: R$ 1,4 mil para consertar um carro em Alexânia, no interior de Goiás. De acordo com o petista, o depósito acabou não sendo feito após suas secretárias checarem a situação com o sobrinho verdadeiro.

 

“Ele tentou me aplicar o golpe, mas eu consegui sustar (o pedido às secretárias) depois de verificar que ele estava tentando me enganar”, afirmou Suplicy ao jornal. De acordo com a reportagem, o petista recebeu a ligação quando estava em Madri, na Espanha, dando palestras sobre o projeto da renda mínima. Ele confirmou a tentativa de golpe na segunda-feira (27) e disse que fará um boletim de ocorrência quando chegar ao Brasil.

Na matéria, o jornal sustenta que o presidiário consegue o aparelho celular dos próprios agentes prisionais, e que estaria preso na Penitenciária do Distrito Federal 1, que fica dentro do Complexo Penitenciário da Papuda e é conhecida como Cascavel. À repórter Maria Lima, o detento disse, no entanto, que Suplicy chegou a depositar uma “mixaria”. “Estou fumando do bom e do melhor. Comendo do melhor, e ele está pagando!”, relatou o presidiário, que se disse fã do senador petista.

Senador Eduardo Suplicy quase cai em golpe em ligação de suposto presidiário

  • Depois de ligar para parlamentar e pedir R$ 1,4 mil para ajudar um sobrinho que estaria com o carro enguiçado, homem tenta enganar repórter e conta como obteria telefone na cadeia

BRASÍLIA — Na última sexta-feira, quando estava em Madri dando palestras sobre seu projeto de renda mínima, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi alcançado por uma ligação de um rapaz do Brasil, dizendo ser seu sobrinho Sérgio, que o senador logo entendeu ser Sérgio Suplicy Goes. O rapaz contou que seu carro havia quebrado e precisava que ele depositasse uma quantia em dinheiro para pagar os mecânicos. O senador quase se tornou mais uma vítima de um golpe orquestrado de dentro de presídios: encaminhou a negociação no sábado, por meio de secretárias, acertando o depósito para um mecânico de Alexânia (GO); mas sustou o pagamento após descobrir o golpe, ao checar com o sobrinho Sérgio.

No sábado, o mesmo criminoso tentou aplicar o golpe na repórter do GLOBO. Desmascarado, deu detalhes sobre o funcionamento da “firma”, dentro da Penitenciária de Cascavel, no Distrito Federal. Disse que ligaria depois para contar de um golpe que estava aplicando em um senador. Segundo “Leandro”, outro nome usado por ele, os celulares são levados ao presídio por policiais.

Na segunda-feira, ele ligou novamente para a repórter, para detalhar o golpe que tentou aplicar em Suplicy, que chamou de “papito”, como o senador é chamado pelo filho Supla, e de “gente finíssima”. Na conversa, contou que, quando Suplicy descobriu que era um golpe, ficou muito bravo, mas não o xingou. Disse que, numa das conversas, colocou no viva-voz para que os companheiros de cela ouvissem a falação de Suplicy.

O Globo