Suspeito de atirar em turista no litoral sul da Paraíba é preso, diz polícia

ATIROU EM TURISTATurista foi levado para o Hospital de Trauma da capital (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Um jovem de 19 anos foi preso no início da manhã deste sábado (30) suspeito de ter atirado em um turista de 51 anos, ferido por um disparo de arma de fogo na tarde da quarta-feira (27), na praia de Coqueirinho, no Litoral do Sul da Paraíba. O homem foi baleado no ombro durante uma tentativa de assalto, na região próximo ao estacionamento da praia. O suspeito está preso na delegacia de Alhandra e estava sendo ouvido pelo delegado até as 8h30 (horário local).

Arma de uso restrito das forças armadas foi encontrada na casa onde jovem suspeito de atirar no turista foi preso, em Pitimbu, Paraíba (Foto: PMPB/Coordenação de Comunicação)Arma de uso restrito das forças armadas estava
com grupo (Foto: PMPB/Coordenação de
Comunicação)

O jovem foi preso em uma casa em Pitimbu, também no litoral sul. Junto com ele, outras três pessoas foram detidas, entre eles um adolescente de 17 anos, todos suspeitos de assaltos na região. Na casa em que houve a prisão, a polícia também apreendeu um carro roubado em Pernambuco e uma pistola calibre 9 milímetros, arma de uso exclusivo das Forças Armadas.

Segundo informações do capitão Kelton Pontes, o suspeito foi identificado logo após o crime e desde então a polícia começou a investigar onde ele poderia ser encontrado. “Descobrimos que ele estava dormindo nesta casa juntamente com os outros três suspeitos, conseguindo neste sábado desarticular o grupo suspeito de agir na região e apresentar a resposta para o crime da última quarta-feira”, enfatizou.

O capitão relata que o rapaz suspeito de ter atirado no turista contou que praticava assaltos porque tinha uma semana para pagar uma dívida com um traficante. Os outros detidos, segundo a polícia, fazem parte do bando de um traficante que está preso e um deles é suspeito de vários homicídios registrados em 2015.

Turistas assustados
A esposa da vítima disse na sexta-feira (29) que o casal está muito assustado com o que aconteceu e que nunca mais pretendem voltar à Paraíba. Eles voltaram para Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na própria sexta-feira.

Segundo Janice Furtado, mulher do turista baleado, era por volta das 15h50 (horário local) quando um homem apenas se aproximou do seu esposo, mostrou uma arma e mandou ele correr. De acordo com o casal, o turista baleado não estava usando cordão de ouro, como foi divulgado em um primeiro momento, e foi abordado por um homem, que disparou seis vezes e após a arma falhar cinco vezes, um tiro atingiu as costas da vítima que caiu e bateu com o rosto no chão.

“Estava muito quente, eu disse para o meu esposo: vamos para aquela sombra. Tinha vários homens, que cobravam em um estacionamento improvisado. Eles olharam e um homem saiu e disse para o meu esposo: corre. Mostrou uma arma, eu não tive reação fiquei do lado do bandido. Pensamos que era encenação, a mulher que estava comigo também. Meu marido também. Eu havia entregado a bolsa de praia para o meu marido carregar. Ele foi caminhando e o bandido atirou e mirou para o meu marido. Atirou cinco vezes, falhou todas, na sexta vez o tiro pegou”, disse Janice.

No dia do assalto a Polícia Militar informou que um homem armado teria abordado a vítima pedindo o aparelho celular e um cordão de ouro, no entanto, a vítima teria se recusado. Com a recusa, segundo a polícia, o criminoso realizou quatro disparos contra a vítima, mas apenas um atingiu o turista. Em seguida, sem levar nada, o suspeito fugiu.

De acordo com Janice, o suspeito do assalto levou o celular, que era do motorista de um outro micro-ônibus que também estava no local com uma turma de turistas. O casal afirma que não foram quatro assaltantes, mas apenas um e que não houve recusa ou tentativa de fuga e também não havia cordão de ouro.

“Ele não assaltou, não tentou levar nada, não tinha cordão de ouro. O celular era do motorista do ônibus que ele [o assaltante] atirou também no vidro. Estamos muito assustados. Nunca mais iremos à Paraíba, o tiro ficou a um milímetro da coluna. Eu acho que tem alguma coisa que precisa ser explicada”, afirmou Janice Furtado.

G1-PB