Suspeito de matar namorada asfixiada vai para presídio do Roger, na PB, determina juiz

Suspeito de matar namorada asfixiada vai para presídio do Roger, na PB, determina juiz

Lucas Pereira Cavalcante, suspeito de matar namorada asfixiada, passou por audiência de custódia nesta quarta-feira (26) — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

O jovem suspeito de matar a namorada asfixiada, em João Pessoa, será encaminhado para o presídio do Roger, na capital paraibana, nesta quarta-feira (26), conforme determinado durante audiência de custódia no Fórum Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba. Lucas Pereira Cavalcante confessou o crime em um vídeo gravado pela Polícia Civil, mas afirmou que não sabia que a ação dele havia causado a morte da jovem.

A decisão foi do juiz José Geraldo Pontes, que definiu a prisão preventiva, de acordo com o Núcleo de Audiências de Custódia do TJ. No depoimento gravado pela polícia, o suspeito contou que matou Gizely segurando a cabeça dela contra o colchão por vários minutos, após uma briga do casal.

Em seguida, ele teria voltado a dormir porque não sabia que a namorada estava morta. O casal completou um mês de namoro na segunda-feira (24).

Gizely Medeiros, de 24 anos, foi encontrada morta dentro de casa por parentes, no bairro do Roger, na manhã da terça-feira (25). Ela foi enterrada no Cemitério São José, no bairro de Cruz das Armas, na capital paraibana, na tarde desta quarta-feira.

Gizely Medeiros tinha 24 anos e deixa um filho de quatro anos em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/ReproduçãoGizely Medeiros tinha 24 anos e deixa um filho de quatro anos em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Gizely Medeiros tinha 24 anos e deixa um filho de quatro anos em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Encontrada morta

Gizely foi encontrada desacordada na própria cama, em um quarto que fica nos fundos da casa dos pais dela, na manhã da terça-feira. A jovem apresentava marcas de agressões e os pais ainda tentaram socorrê-la em um táxi, porém o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao local e constatou que ela já estava morta.

O corpo de Gizely Medeiros foi levado para o Instituto de Polícia Científica (IPC), onde foi feita uma perícia que identificou asfixia como causa da morte. À tarde, o namorado dela prestou esclarecimento e negou a morte e as agressões. Ele alegou que a morte poderia ter sido causada pelo alto consumo de bebida, energético e cocaína feito pelos dois na noite anterior.

Após o laudo, ele mudou a versão e, segundo o delegado, confessou o crime, mas disse que não sabia que a jovem havia morrido. O casal completou um mês de namoro na segunda-feira (24). A confissão foi registrada pela Polícia Civil em um vídeo. Lucas Pereira Cavalcante já responde em liberdade pelo crime de roubo.

G1-PB