Talibãs reivindicam ataque terrorista no Afeganisão: quase cem mortos

Centenas de prédios tremeram e muitos carros foram danificados no perímetro da explosão do ataque terrorista de um homem-bomba no Afeganistão, em 27 de janeiro de 2018.REUTERS/Omar Sobhani

Ao menos 95 pessoas morreram e 158 ficaram feridas no atentado com uma ambulância-bomba cometido neste sábado (27) em Cabul, de acordo com o balanço atualizado do ministério da Saúde do Afeganistão.

Os talibãs reinvidicaram o ataque terrorista deste sábado (27) no centro de Cabul que deixou pelo menos 95 mortos e 158 feridos, segundo o Ministério da Saúde do país.

A bomba foi dissimulada dentro de uma falsa ambulância que explodiu em uma barreira policial na capital afegã, em um setor próximo do bairro administrativo e das embaixadas.

De acordo com um porta-voz do Ministério da Saúde, o homem-bomba utilizou a ambulância para enganar os policiais, dizendo que precisava levar um paciente para o hospital Jamuriat, situado na região.

“Massacre”

Na segunda barreira, ele foi reconhecido e detonou os explosivos. Segundo o coordenador da ONG humanitária Emergency, que gerencia um hospital próximo ao local, “trata-se de um massacre”.

Centenas de prédios situados a poucos metros do local tremeram com a força da explosão. Vários carros foram atingidos pela força dos explosivos no perímetro do ataque terrotista.

A violenta explosão sacudiu a capital e atingiu até mesmo prédios situados a centenas de metros, que tiveram seus vidros estraçalhados. Vários corpos ensanguentados ficaram espalhados pela calçada depois do ataque.

O atentado foi reivindicado pelo porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, no Whatsapp. O ataque acontece apenas uma semana depois do atentado contra o hotel Intercontinental, na capital.

RFI