TCE mantém reprovação de contratos da Saúde - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

TCE mantém reprovação de contratos da Saúde

contas reprovadas TCEO Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) negou provimento, na manhã desta quarta-feira (28), ao Recurso de Apelação, do Governo do Estado, que pretendia modificar decisão da 2ª Câmara Deliberativa do TCE-PB que, em março de 2013, julgou irregulares a contratação, sem concurso público, de servidores para a área da saúde.

Na ocasião, a 2ª Câmara fixou os prazos de 120 dias para que os secretários de Saúde, Waldson Dias de Souza, e da Administração, Livânia Maria da Silva Farias, obedecessem à regra do concurso e, de 30 dias, para que o primeiro deles encaminhasse ao Sagres (Sistema de Gestão dos Recursos da Sociedade) a relação de servidores “codificados”, ou sem vínculo.

Na decisão inicial, a 2ª Câmara desaprovou a contratação de 1.923 prestadores de serviços não efetivos pagos pela Secretaria da Administração e, também, a de 7.537 “codificados”. À secretária da Administração foi imposta a multa de R$ 4.000,00 e, ao da Saúde, de R$ 6.000,00.

Com a decisão desta quarta-feira, tomada pelo Tribunal Pleno, fica mantido, em todos os termos, o julgamento de março passado, efetuado pelo órgão fracionário do TCE. O processo decorrente da Apelação teve a relatoria do conselheiro Umberto Porto, cujo voto foi aprovado à unanimidade.

Nesta quarta-feira, o Tribunal ainda emitiu parecer favorável à aprovação das contas de 2012 apresentadas pelo prefeito de Aguiar, Manoel Batista Guedes Filho. Também foram aprovadas as contas de 2011 da Defensoria Pública do Estado e as de 2012 oriundas das Câmaras Municipais de Pedras de Fogo e Triunfo.

Conduzida pelo vice-presidente Umberto Porto (no exercício da presidência em razão de viagem do titular Fábio Nogueira a Brasília), a sessão plenária teve as participações dos conselheiros Arnóbio Viana, Nominando Diniz, André Carlo Torres Pontes e Fernando Catão. Também, as dos auditores Renato Sérgio Santiago Melo, Antonio Cláudio Silva Santos e Antonio Gomes Vieira. O Ministério Público esteve representado pela procuradora geral Elvira Samara Pereira de Oliveira.

 Assessoria