Temer anuncia reforço da Força Nacional em Roraima com 120 homens

Temer anuncia reforço da Força Nacional em Roraima com 120 homens

Policiamento na Esplanada dos Mnistérios em dia de greve geral. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

Força Nacional em Roraima será reforçada após agressões a imigrantes venezuelanos

O governo federal anunciou que reforçará a Força Nacional em Roraima com 120 homens e enviará no próximo domingo (26.ago.2018) 36 voluntários da área da saúde para atendimento aos migrantes em parceria com hospitais universitários. As decisões foram tomadas após uma reunião de 5 horas no Palácio da Alvorada.

As medidas são uma resposta do governo à situação de conflito formada em Pacaraima (Roraima), na fronteira com a Venezuela, após ataques contra imigrantes venezuelanos no sábado (19.ago.2018). O Exército informou que cerca de 1.200 migrantes voltaram ao país vizinho depois do episódio.

Além dos reforços, o palácio anunciou em nota (íntegra) as seguintes medidas, sem detalhar como serão implantadas:

  • interiorização: “intensificação dos esforços de interiorização dos venezuelanos para outros Estados”;
  • abrigo de transição: “estabelecimento de abrigo de transição em Roraima, entre Boa Vista e Pacaraima, para atendimento humanitário dos migrantes que aguardam o processo de interiorização, de forma a reduzir o número de pessoas nas ruas”;
  • comissão interministerial“o deslocamento de comissão interministerial para avaliar medidas complementares”.

O governo também marcou para esta 2ª feira (20.ago) a realização de uma reunião para concluir as negociações início das obras do “linhão” de integração de Roraima ao sistema elétrico nacional.

Estiveram presentes o general Joaquim Silva e Luna, ministro da Defesa, o general Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional, Rossieli Soares, ministro da educação, Moreira Franco, de Minas e Energia, Raul Jungmann, da Segurança Pública e Marcos Galvão, secretário-geral das Relações Exteriores.

Ao fim do comunicado, o governo federal afirma que segue em “condições de empregar as Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem em Roraima”, mas que por determinação da lei esta solicitação deve ser feita pela governadora do Estado, Suely Campos (PP).

No início do mês, a ministra do STF, Rosa Weber, indeferiu o pedido de fechamento da fronteira de Roraima com a Venezuela feito pela governadora de Roraima, Suely Campos. A ministra suspendeu também o decreto do governo do Estado que aumentou o rigor da segurança pública e da vigilância das forças policiais na fronteira com a Venezuela.

Poder360