Temer irá ao Senado na segunda-feira apelar pela mudança da meta fiscal

temer mete fiscalEmpenhado na aprovação de revisão da meta fiscal, o presidente interino irá pessoalmente ao Senado na próxima segunda-feira (23) para entregar ao presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), as alterações propostas. A reunião contará com a participação de líderes partidários. Renan vai avocar a mudança da meta para o Plenário, já que prazos na Comissão Mista de Orçamento (CMO) irão vencer.

Nos últimos dias, um interlocutor de Temer confidenciou uma frase na qual o presidente interino externavapreocupação. “Se não aprovar (a nova meta), daqui a pouco quem estará cometendo pedalada sou eu”, teria dito Temer.

Na ocasião, o presidente interino aproveitará que as atenções estarão voltadas para o Senado e anunciará o que os ministros do novo governo vêm chamando de “herança maldita” do governo da presidente afastada Dilma Rousseff, como forma de justificar os próximos passos da nova gestão.

Nesta quinta-feira, o ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse que a previsão de déficit não trará o impacto da Eletrobras, já que o balanço da estatal está pendente. Além da Eletrobras o governo deve incluir, no cálculo da meta fiscal, a dívida dos estados. Aequipe de Dilma projetava um déficit primário de R$ 96,7 bilhões em 2016. No entanto, a área econômica de Temer afirma que o déficit será maior e está fechando os números.

A intenção do governo é alterar a previsão de déficit primário (receitas menores que as despesas, sem contar juros da dívida pública) proposta pelo governo de Dilma, que encaminhou ao Congresso Nacional, no fim de março, proposta pedindo a revisão da meta de superávit para registrar um déficit de R$ 96,7 bilhões. A expectativa é que a revisão aumente o déficit para R$ 150 bilhões.

Jornal do Brasil