Tendão de Aquiles atrapalha e Obina confirma aposentadoria

Tendão de Aquiles atrapalha e Obina confirma aposentadoria

“Melhor que Eto’o”, mas agora aposentado. O folclórico atacante Obina anunciou o fim da carreira, após sofrer com dores por conta de lesão no tendão de Aquiles.

O último clube de Obina foi o Matsumoto Yamaga, do Japão, e a última partida foi em 2016. Uma lesão no tendão de Aquiles comprometeu o futuro do atacante, que vem desde então tentando se recuperar, sem sucesso. As dores ainda o atrapalham no dia a dia, e um retorno ao futebol profissional não passa mais pela cabeça do baiano.

“Neste momento, eu estou deixando o futebol. Acho que é a primeira vez que eu falo isto. Não tinha falado para ninguém. Tive uma contusão no Japão, rompi o tendão de Aquiles, tentei tratar um bom tempo. Momento de estar com a família, e pela idade. Era um momento meu de curtir a minha família e de dar um tempo do futebol. Também por conta das dores que eu sentia depois do treino, mesmo sendo bem tratado, eu não estava tendo condições de fazer aquilo que eu gosto e da maneira que eu gosto”, confirmou Obina em entrevista ao site globoesporte.com.

Carismático, Obina ganhou fãs nos bons momentos e não perdeu a simpatia dos torcedores nos mais difíceis. O atacante guarda o carinho dos torcedores, até mesmo os rivais, como a grande lembrança de sua carreira.

“Acho que o carinho dos torcedores onde eu passei. (é o que mais marcou) Eu passei em grandes clubes. De São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, até aqui mesmo na Bahia. Isto é uma prova que quando você esteve lá você fez um grande trabalho e você fica marcado. Até os torcedores dos times rivais”, disse.

Em sua despedida, Obina deixou mais uma declaração de amor e gratidão ao Vitória. Para o atacante, o Flamengo o deu destaque nacional, mas foi o Vitória que mudou a sua vida.

“O Flamengo é um time que me deu status nacional e até mundial por ter proposta de outros clubes. Acho que o Flamengo que me deu isso. Mas, como falo, tenho sempre que agradecer muito ao Vitória pelo meu início. A gente, às vezes, vê lá em cima e não vê o que aconteceu aqui embaixo. Eu vejo mais o que aconteceu aqui embaixo. O Vitória foi fundamental em minha vida, na minha trajetória no futebol. Tenho um respeito muito grande e um carinho muito grande pelo Vitória”, disse.

Por fim, Obina descartou uma partida de despedida, até por conta de sua situação física, mas se o pudesse fazer, seria pelo clube pelo qual torce: “Meu sonho mesmo era fazer (a despedida) no Vitória”.

O Gol