Tenente-Coronel Souza Neto recebe homenagem da Câmara de Vereadores de Guarabira

CEL SOUZA NETOO tenente-coronel Souza Neto vai receber a mais alta comenda da Câmara de Vereadores de Guarabira, a Medalha Osmar de Aquino. A solenidade será no próximo dia 11 às 16h30.

Ao falar sobre a comenda, o coronel Souza Neto afirmou que sente lisonjeado em ter o seu trabalho reconhecido pelo Poder Executivo Guarabirense. “Recebo essa medalha com humildade e ao mesmo tempo muito feliz em saber que a minha atuação na Polícia Militar está sendo reconhecida”, comentou o coronel.

Perfil – O tenente-coronel Souza Neto é natural de Guarabira, entrou na Polícia Militar em 1994, foi comandante do Canil, fundou e comandou a Rotam, tem cursos da Swat – polícia de elite norte-americana, paraquedista, instrutor do curso de formação de oficiais, operações especiais pela TEES Brazil e proteção de autoridades do BOPE – RJ.

Foi comandante de dois dos maiores e mais importantes batalhões, o 2º BPM em Campina Grande e o 5ºBPM em João Pessoa, Guardião da Zona Sul da Capital (Valentina de Figueiredo). Atualmente está exercendo a função de Assessor Militar junto ao Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, desde dezembro de 2014.

Sobre a medalha – Osmar de Aquino Araújo foi um político e advogado brasileiro. Filho de um fazendeiro em Guarabira, [Osório de Aquino Torres e de Maria Benevides de Aquino, irmão de Maria do Carmo, Mercedes e Helena, casado com a senhora Míriam Melo de Aquino. Viveu a infância em Guarabira, cursando o primário nessa cidade com sua mãe, tendo, posteriormente, concluído seu curso secundário na capital João Pessoa.

Seu avô parterno, Antônio Manuel de Aquino e Silva, foi prefeito de Guarabira por duas vezes, sendo o seu o chefe político por muito tempo.

Fez o curso de direito na Faculdade de Direito do Recife, no perído de 1934 a 1938.

Na universidade fez parte do movimento estudantil, sendo eleito para o diretório no primeiro ano de curso. No movimento, integrou-se à corrente de esquerda.

Ao término do curso, voltou a Guarabira para formar uma bancada de advogado que cobria toda a região do brejo paraibano, se dedicando integralmente à profissão, exercendo advocacia geral, todavia, tendo maior interesse por Direito Penal

Em 1940 foi nomeado prefeito de Guarabira pelo governador Rui Carneiro, onde passou apenas três meses, demitindo-se por insatisfação pessoal.

Em 1945, entra na vida partidária filiando-se à UDN, onde lutou pela redemocratização do país e deu os primeiros passos para a formação da Esquerda democrática, que posteriormente tornou-se Partido Socialista Democrático. A esquerda democrática era consituída por setores progressistas, inclusive de esquerda, que lutavam contra o Estado Novo. No UDN da Paraíba, pertencia a ala de José Américo, sendo este quem o indicou a ser candidato a deputado federal naquele ano.

Participou, em 1946, da campanha de Osvaldo Trigueiro.

Foi eleito com vinte e nove anos, sendo, junto com Aluísio Alves, os deputados mais jovens do Brasil. Foi o sétimo mais votado da Paraíba. A UDN conseguiu nessa eleição, eleger sete deputados federais e dois senadores.

Fora indicado por José Américo junto com Otávio Mangabeira para a grande Comissão Constitucional. No entanto, ponderou e, por ser novo, tanto na idade quanto na vida política, sugeriu que fosse indicado em seu lugar Argemiro de Figueiredo. Todavia, particiou ativamente dos debates políticos, não tendo emendas aceitas por serem consideradas muito polêmicas, como, por exemplo, uma extinguia a fiança em dinheiro.

Assessoria