Teori Zavascki pode juntar processos da PGR e dificultar situação de Cunha

ministro-relator-da-lava-jatMinistro relator da Lava Jato ainda não sinalizou para cronograma que analisará denúncias da PGR

Relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Teori Zavascki poderá juntar o pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), feito pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, à análise da primeira denúncia contra o deputado peemedebista.

A informação é da coluna Radar, da “Veja”, e foi relatada por ministros que vêm acompanhando a tramitação da relatoria.

Os ministros creem que, analisado separadamente, o pedido de afastamento de Cunha tem pouca chance de prosperar, pela falta de evidências claras de que o presidente da Câmara obstrui as investigações estando no cargo e no mandato parlamentar.

 

Caso contrário, e este pode ser o caminho de Teori, segundo os magistrados da Corte, se o STF acatar a denúncia e transformar Cunha em réu, o afastamento seria “robustecido”, segundo opinião dominante entre os ministros.

Teori ainda não sinalizou com nenhum cronograma para as denúncias e o pedido apresentado por Janot ao Supremo.

Jornal do Brasil