terrorista

Terrorista que matou padre na França sorriu e falou sobre paz

Um dos jihadistas responsáveis pela morte do padre Jacques Hamel, de 86 anos, em uma igreja de Saint-Étienne du Rouvray, na França, sorriu e falou sobre paz enquanto conduzia o ataque, contaram duas freiras reféns. Abel Petitjean e Adel Kermiche, ambos de 19 anos, foram mortos pela polícia após degolarem o sacerdote, em um ataque reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

“Eu recebi um sorriso de um dos homens. Não um sorriso de vitória, mas leve, de alguém que parecia feliz”, relatou a irmã Huguette Peron ao jornal católico La Vie. Os jovens invadiram a igreja na região da Normandia durante uma missa e mantiveram cinco pessoas como reféns, antes de assassinarem o padre. Uma das freiras presentes no local conseguiu fugir e avisar a polícia.

De acordo com a irmã Helene Decaux, os terroristas começaram a conversar e perguntaram se ela era familiarizada com o Alcorão. “Sim, eu o respeito como respeito a Bíblia, li diversas passagens. As que mais me tocaram foram as que falam sobre paz”, respondeu. Então, um dos jovens comentou: “Paz, é o que queremos… Enquanto houver bombas na Síria, continuaremos nossos ataques. Vão acontecer todos os dias. Quando vocês pararem, nós paramos”.

Nas cerca de quatro horas que ficaram reféns dos terroristas na igreja, Decaux e Peron pensaram diversas vezes que não sairiam ilesas. Segundo Huguette, um dos homens chegou a perguntar se ela tinha medo de morrer. A freira disse que não, “pois acredita em Deus” e os dois começaram a discutir sobre religião. “Ofereci a minha vida a Deus porque jurei que morreria”, relatou.

Veja