Tião Gomes garante apoio a João Azevedo, alfineta Cartaxo e critica Cássio: ‘não tem moral para falar em calote’

tiao-gomesO presidente do PSL, deputado estadual, Tião Gomes, comentou em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta sexta-feira (22), que o PSL está fechado com a pré-candidatura de João Azevedo, aproveitou para alfinetar o prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PSD) e ainda criticou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) pelas reclamações em relação a Câmara de Conciliação.

Questionado sobre com quem o PSL seguiria, o deputado rebateu: “E tem dúvida? Com João Azevedo”. Gomes afirmou foram convocados os 50 pré-candidatos a vereador e lembrou que o partido expulsou Sérgio da SAC por não seguir as diretrizes do partido: “Limpamos o partaido e vamos fazer novos vereadores, novas alianças… Construímos em João Pessoa um partido forte, tirar o que achávamos que não dava certo. O próprio Sergio da SAC, chamei ele, não ficou ao lado do PSL, tem uma posição definida em relação a Cartaxo, então ele que procure um partido que lhe aceite e defenda o que você quer”, disse.

Gomes garantiu que o PSL não vai apoiar a reeleição de Cartaxo. “Já temos apoio a um pré-candidato que gostamos, simpatizamos que é João Azevedo”. Apesar de afirmar que não iria criticar o prefeito, Gomes afirmou que João Pessoa “deixou de crescer”.

“Não pensa grande. Devemos ter um candidato que acompanhe o ritmo do governo estadual. Ricardo fez grande governo em João Pessoa. O povo voltou a amar a cidade depois de Ricardo, os outros prefeitos não tiveram a visão de transformar João Pessoa na capital do tamanho que ela é. Grande”, disse.

Retorno a AL

O deputado que estava afastado para resolver questões do partido, Tião afirma que volta para ajudar Ricardo Coutinho e destacou que assim como na campanha de 2014 9 entre 10 pessoas diziam que Cássio ganharia, agora estão colocando Cartaxo como o nome escolhido. “Pesquisa não ganha campanha e quem vai ganhar é o candidato do governo”, afirmou.

Decreto de RC

Tião defendeu a decisão do governador de criar uma Câmara de Conciliação para rever dívidas com fornecedores e apontou que “os que podiam ter feito pela Paraíba vem criticar”. O deputado lembrou que Ricardo enfrenta o quinto ano de seca e segundo de crise nacional. “Não é brincadeira a crise no país”.

O parlamentar criticou o senador Cássio Cunha Lima que ‘pegou o país no auge do crescimento econômico e no final do ano as pessoas estavam tomando dinheiro emprestado no banco’. “Quer vergonha maior que essa? Cássio não tem moral para dizer a Paraíba que Ricardo está passando calote, quem passou calote no povo da Paraíba foi ele. E Ricardo pegou o governo em 2012, o estado quebrado… Vejo maranhão vir aí e dizer que deixou R$ 1 bilhão para estrada. Que conversa é essa? Como o estado podia tomar dinheiro emprestado se não tinha dinheiro. Deixou coisa nenhuma! Foi muito duro no primeiro ano de governo, todos contra Ricardo. Ele gerenciou e equilibrou”, bateu.

“Defendo que o que Ricardo está fazendo agora é importante. Não está tirando de ninguém, está chamando a pessoa que vendeu para conversar. Meu irmão (o prefeito de Areia), fez isso em setembro e o prefeito de João Pessoa no ano passado”, explicou.

Antes de concluir, Tião ainda aproveitou para afirmar que se Ricardo estivesse atrasando os salários do funcionalismo, Cássio “estaria de alma lavada”, pois estaria criticando o Estado.

Marília Domingues