Tovar Correia Lima crticou aumento salarial e associou a violência aos percentuais

Tovar associa política salarial à violência na PB; Célio reage: “Crime é comprar votos com cesta básica” deputado estadual Tovar Correia Lima associa política salarial do Governo ao índice de violência na Paraíba

tovar criticou o governo rcO deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB – Foto à esquerda) criticou o aumento anunciado pelo governador Ricardo Coutinho esta semana. O deputado associou o percentual de reajuste aos altos números de violência no Estado. Já o secretário executivo de Comunicação da Paraíba, Célio Alves, reagiu à crítica do deputado e disparou: “Crime mesmo é tentar comprar eleitor com cesta básica”.

Para Tovar, o governador tentou maquiar as informações falando em 20% de reajuste, porém, o aumento real foi de 1% linear, argumentou o parlamentar, elencando que bolsa-desempenho e outros anexos do gênero serão pagos parcelados.

O tucano afirmou ainda que mesmo somando o aumento de 1% a estas “bolsas”, o aumento real não atinge o percentual da inflação que foi de 6,47% no ano passado. “O resultado deste descaso com funcionalismo público, coloca a Paraíba como o estado mais violento do Brasil e a nossa capital como uma das mais violentas do mundo” afirma.

 

Secretário executivo de Comunicação Célio Alves reagiu às críticas do deputado Tovar ao governo

Célio Alves reagiu, lembrando que o deputado chegou a ser conduzido a delegacia durante o período eleitoral, por suspeita de abuso do poder econômico disparou: “Crime mesmo é tentar comprar eleitor com cesta básica”.

“Não há servidor assaltando nem matando, na Paraíba, para que o deputado associe o reajuste à criminalidade”, disse o secretário.

Alves ainda defendeu a taxa de reajuste do Governo, fazendo um comparativo com outros estados: “A Paraíba está concedendo o maior aumento entre os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, pois, à exceção da Paraíba, nenhum deles reajustou os salários dos servidores e o reajuste de 1% alcança a menor parcela dos servidores, pois a grande maioria recebeu acima disso, chegando até 20%”.
MaisPB