Três homens foram assassinados neste sábado na Grande João Pessoa - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Três homens foram assassinados neste sábado na Grande João Pessoa

Três homens foram assassinados neste sábado (8) no município de Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa. A polícia trabalha com a hipótese dos crimes serem execuções.

Segundo o delegado Pedro Ivo, da Delegacia de Homicídios, um homem sem identificação, foi encontrado morto com aproximadamente quatro disparos, próximo o aeroporto em uma estrada de barro. O crime aconteceu por volta das 12h.

A vítima tinha várias tatuagens no corpo com número 157, que representa o artigo 157 que fala sobre roubo, por isso, a polícia acredita que ele era um ex-presidiário. Tatuagens de palhaço também foram em seu corpo. Ao lado dele foi encontrada uma faca.

“A vítima aparentava ter 25 a 30 anos, estava sem identificação e possuia tatuagens pelo corpo que pode demonstrar que se tratava de um ex-presidiário. Provavelmente ele foi assassinado com três ou quatro disparos”, comentou Pedro Ivo.

Já por volta das 14h, outro homicídio foi registrado em Santa Rita, dessa vez no bairro Alto das Populares. João Leno do Nascimento Silva, 22 anos, estava no meio da rua quando homens desconhecidos se aproximaram da vítima e disparam vários tiros, sendo que um atingiu a cabeça da vítima. O pai dele informou à polícia que o filho já havia sido detido por porte ilegal de armas, mas não chegou a ser preso, porque pagou fiança.
“O terceiro homicídio neste sábado em Santa Rita aconteceu no Alto das Populares. Um jovem de 22 anos levou um tiro na nuca. Como temos poucas informações, vamos investigar o caso e aguardar ligações para disque o denúncia”, comentou o delegado.

E por volta das 10h, o corpo de um homem foi encontrado em Bebelândia, distrito de Santa Rita, com perfuração à bala. De acordo com o delegado de Homicídios, Marcelo Falcone, o corpo estava em um canavial, localizado em uma área de difícil acesso. Não foi possível a identificação do corpo, porque a vítima estava sem documentação e a população local não conseguiu reconhecer a vítima.

“Não temos muito detalhe do crime, porque a área é de difícil acesso e ninguém reconheceu a vítima, mas trabalhamos na hipótese do crime ter sido uma execução”, comentou Falcone.

Portal Correio