Trócolli taxa Manoel Júnior de precipitado e defende pré-candidatura de João Azevedo

trocolliO secretário de Estado de Articulação Política, Trócolli Júnior, taxou o deputado federal e pré-candidato pelo PMDB a prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior – que classificou a pré-candidatura do secretário de estado João Azevedo de Balão de ensaio – de precipitado e afirmou que defende a aliança entre PMDB e PSB nas eleições do próximo ano: “Muita água vai rolar”.

“A gente que milita na política paraibana desde 1988 conhece a história política de quem vem no comando do estado da Paraíba. Aqui não existe sapato alto, existe trabalho e todas as vezes que quem comanda a política paraibana hoje foi o vereador mais votado, deputado estadual mais votado, prefeito duas vezes e governador eleito duas vezes. Quem tem um histórico desses não podemos duvidar de uma apresentação de um candidato qualificado como é João Azevedo”, disse.

Trócolli apontou que não fala em nome do partido, pois ainda faltam nove meses para as convenções partidárias que irão definir os candidatos. “É legítima a postulação de Manoel Júnior, que foi o deputado federal mais votado em João Pessoa, já votei nele três vezes consecutivas, ele é do meu partido, mas temos até 30 de junho para conversarmos”, argumentou.

De acordo com o secretário, hoje existe uma união de 90% do PMDB na Paraíba em torno do projeto PMDB/PSB. “Vamos insistir para que esse projeto seja solidificado”, apontou criticando a atitude de Manoel Júnior que taxou a pré-candidatura de João Azevedo de “Balão de ensaio”. “Quem menospreza candidatura de A ou B é precipitado. As eleições acontecerão só em outubro do ano que vem, qualquer pessoa que faça prognóstico de candidatura nesse momento, faltando 9 meses para as convenções é precipitação, não queria usar este termo com Manoel Júnior, mas na política tudo é possível”, disse.

Apesar disso, Trócolli não descartou a candidatura do PMDB, mas explicou que esse será um problema resolvido entre a executiva estadual. Mesmo sendo auxiliar de Ricardo, Trócolli garantiu que se a candidatura de Trócolli for a cabo, ele votará no peemedebista, porém que vai trabalhar até junho do ano que vem para que a aliança PMDB/PSB continue.

Marília Domingues / Fernando Braz