Trump diz que imigração é privilégio, não um direito, após reunião com Merkel

O presidente Donald Trump e a chanceler Angela Merkel em coletiva de imprensaREUTERS/Jim Bourg

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (17) que “a imigração é um privilégio, não um direito”, após reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, na Casa Branca. Ele já havia criticado duramente a líder europeia por sua política de abertura aos refugiados.

“A segurança de nossos cidadãos deve sempre ser colocada em primeiro lugar. Não há dúvidas disso”, completou. O mais recente decreto anti-imigração de Trump foi bloqueado pela Justiça. O texto proibia a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de seis países de marioria muçulmana, por 90 dias: Síria, Líbia, Somália, Iêmen, Sudão e Irã.

O presidente também defendeu políticas comerciais justas e recíprocas, que ajudem as pessoas que foram afetadas pelas correntes comerciais globais. ” Milhões de americanos que trabalham duro foram colocados de lado pelo comércio internacional”, afirmou.

Apoio à Otan

Trump garantiu a Merkel um “forte apoio” à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), mas também pediu que os países membros da aliança militar “paguem o devido”.

Noticiário Francês