Tudo conspira para segundo turno na Paraíba - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Tudo conspira para segundo turno na Paraíba

eleiçoes 2014 pbCom o apoio do PT à candidatura do PMDB na Paraíba consolida-se um quadro que em tudo favorece a realização do segundo turno no pleito para o governo do estado, previsto para acontecer em outubro próximo.

O fortalecimento da candidatura do ex-prefeito campinense, Veneziano Vital do Rego, no caso, tanto é desfavorável às pretensões do governador Ricardo Coutinho, do PSB, quanto do senador Cássio Cunha Lima, do PSDB.

 

No caso de Ricardo, porque força aquele segundo turno indesejado pelos socialistas, por mais que neguem. E, no caso de Cássio, porque afasta de uma vez por todas as chances de união PSDB-PMDB, um sonho campinense.

 

Quatro outras forças – todas elas, bases de Dilma Rousseff no estado – prosseguem sem parcerias previstas, mas, não confirmadas. E pelo menos duas delas plenamente à disposição tanto de Ricardo, quanto de Cássio, e, ainda, do PMDB-PT.

 

As duas forças da base de Dilma dispostas a fechar com qualquer um dos três candidatos (desde que tenham a vaga de senador garantida) são as reunidas no PTB, de Wilson Santiago, e no PR, de Wellington Roberto.

 

A outra – o PP de Aguinaldo e Daniella Ribeiro – tende, de início, a fechar com a candidatura do PMDB-PT, podendo garantir a vice, na chapa, e, ainda, uma reeleição tranquila a Aguinaldo à Câmara dos Deputados, com futuro garantido caso Dilma vença o pleito.

 

Há, enfim, o PEN, do presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Marcelo, e que tem em seus quadros, ainda, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Agra. Pelo que dizem os antenados no poder legislativo estadual, o PEN deve compor com Cássio Cunha Lima, e seu PSDB.

 

No campo das forças que fazem oposição a Dilma, há o DEM, de Efraim Morais – que namora firme com Ricardo, mas pode até fechar com Cássio -, e o PPS, de Nonato Bandeira, que já anunciou apoio a Cássio.

 

Caso tudo ocorra conforme os sinais de hoje, a chapa PMDB-PT pode estar formada, assim: Veneziano (PMDB), governador, Daniella (PP), vice, e Lucélio Cartaxo (PT), senador. Orientação “de cima” pode acabar colocando Wilson Santiago (PTB), para o Senado, com garantia da eleição de Lucélio para a Câmara dos Deputados.

 

A do PSDB, assim: Cássio (PSDB), governador, Luciano Agra ou Ricardo Marcelo, ambos PEN, ou Nonato Bandeira, PPS, vice, e Cícero Lucena (PSDB) ou Ricardo Marcelo (PEN) ou Rômulo Gouveia (PSD) ou Efraim Morais (DEM), para o Senado. Dependendo da formação, Nonato poderia ter eleição garantida para a Câmara dos Deputados.

 

Finalmente, a do PSB, assim: Ricardo (PSB), governador, alguém indicado pelo PR ou pelo próprio PSB ou pelo DEM, para vice, Rômulo Gouveia (PSD) ou Wellington Roberto (PR), para o Senado.

 

É mais ou menos isso.
Sérgio Botêlho