Um dos acusados de matar modelo é condenado a 17 anos de prisão em regime fechado

Dalmi BarbosaA justiça determinou, em julgamento encerrado às 21h desta quinta-feira (28), que o terceiro acusado de participar da morte do modelo Dalmi Coelho Barbosa Filho deve cumprir 17 anos de prisão em regime fechado.

A informação foi confirmada ao Portal Correio pelo irmão do modelo, Pastor Daniel Evangelista Barbosa. “A sensação hoje é de que a justiça vem sendo feita e agora aguardamos os próximos julgamentos em fevereiro para os outros dois que fazem parte do processo. Ainda não estamos completamente satisfeitos por isso”, ressaltou ele.

O júri de Mateus Alves da Silva, acusado de dirigir o carro usado no crime, foi aberto às 9h30 e várias testemunhas foram ouvidas ao longo do dia.

O julgamento de outros dois acusados de participação no assassinato de Dalmi, foi adiado. O júri popular de Júlio César Xavier do Nascimento, acusado de executar o homicídio e Ana Paula Teodósio de Carvalho, mandante do crime, foi remarcado para o próximo dia 13 de fevereiro. A decisão é da juíza Lilian Cananéa, que preside o julgamento, no Fórum de Santa Rita.assassino de dalmi

O julgamento de Júlio Cesar foi adiado pela ausência dos advogados. A juíza deu um prazo de 10 dias para ele conseguir nova defesa. Já os advogados de Ana Paula apresentaram pedido de adiamento do julgamento em tempo hábil.
Júri foi adiadoFoto: Júri foi adiado
Créditos: Assuero Lima

A primeira a prestar depoimento foi Raquel Teófilo, noiva de Dalmi Barbosa. Ela foi questionada pelo promotor Onéssimo Gomes se conhecia Mateus Alves, mas negou e afirmou que soube da participação dele no crime pela imprensa.

Além dos três acusados, André Pedro da Silva também é acusado de participação do assassinato. Ele seria dono da arma usada para matar o modelo, mas a Justiça aguarda a análise de um recurso e, por isso, o julgamento ainda não tem data marcada.

Júri foi adiadoFoto: Júri foi adiado
Créditos: Assuero Lima

Júri foi adiadoFoto: Júri foi adiado
Créditos: Assuero Lima

Júri foi adiadoFoto: Júri foi adiado
Créditos: Assuero Lima

O servidor público e modelo Dalmi Carvalho Barbosa tinha 24 anos e foi assassinado na manhã do dia 22 de dezembro de 2012, em Santa Rita. De acordo com os autos, o caso ocorreu após o modelo reagir a suposto assalto e ser baleado três vezes. Dois tiros atingiram a cabeça da vítima, que morreu na hora.

Porém, conforme as investigações da Polícia Civil, Ana Paula foi considerada a mandante do crime, considerado passional, porque nutria um amor obsessivo e não correspondido pela noiva do modelo, Raquel Teófilo Sousa, com quem idealizava manter um relacionamento amoroso.

Dalmi saia de uma academia e, quando caminhava em direção a residência onde morava, foi abordado por três homens que anunciaram o assalto. Em seguida, o trio roubou um celular e atirou várias vezes contra a vítima que teve morte imediata.

Relembre a cobertura completa do caso produzida pelo Portal Correio